26 de Fevereiro de 2020,

Economia

A | A

Sexta-Feira, 24 de Janeiro de 2020, 15h:58 | Atualizado:

CELERIDADE

Deputado elogia obras de porto em MT

drleonardo.jpg

 

Entusiasta do transporte aquaviário como forma de desenvolver economicamente e gerar empregos na Região Sudoeste de Mato Grosso, deputado federal Dr. Leonardo (Solidariedade-MT) fiscalizou as obras do Porto Fluvial de Cáceres, nesta quinta-feira (23.01). Para o parlamentar, o Porto conectado à Hidrovia Paraguai-Paraná em pleno funcionamento pode mudar o futuro econômico de toda região.

“Essa é uma luta antiga para nós da região. O Porto Fluvial de Cáceres em atividade representa mais emprego e mais renda. Desde meu mandato de deputado estadual, luto para retomar esse sonho. No Governo passado, houve um primeiro passo para a concretização. Subimos mais um degrau e a Associação Pró Hidrovia do Rio Paraguai (APH) retomou as obras”, afirmou Dr. Leonardo.

O parlamentar se reuniu com o presidente da APH, Reck Júnior, o qual explicou que o investimento previsto é de R$ 1,5 milhão para recuperação da estrutura física, equipamentos, e demais adequações necessárias.  A previsão é que em seis meses seja possível voltar a usar o transporte aquaviário para escoamento da produção.

“Estou aqui, apoiando e cumprindo o meu papel de fiscalizar essa importante obra. Estamos bastante confiantes nesse novo momento. Seguimos trabalhando para fazer de Cáceres e Mato Grosso uma terra rica em oportunidades para as pessoas”, disse o parlamentar.

Histórico da Obra - O Porto Fluvial de Cáceres é delegado pela União para a administração pela Companhia Mato-grossense de Mineração (Metamat) desde 1998. Por meio da hidrovia Paraguai-Paraná, o porto beneficiará municípios das regiões oeste e sudoeste do estado. Dos 3.442 quilômetros da rota aquaviária, 890 quilômetros ficam dentro do Brasil, passando por Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. A hidrovia passa ainda pela Bolívia, Paraguai, e Argentina.

Em 2017, o Governo do Estado firmou um termo de cooperação com a Associação Pró-Hidrovia (APH), formada por produtores rurais da região Oeste. O objetivo era recuperar a viabilidade do porto, que estava praticamente “abandonado” num termo de cessão com a Docas Brasil. Em 2019, a Metamat firmou um acordo de cooperação com a APH para a retomada das atividades do Porto Fluvial de Cáceres.

 

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Luiz Fernando Jorge da Cunha | Sábado, 25 de Janeiro de 2020, 07h44
    0
    0

    1,5 milhão para construir um Porto hidroviário. Só podem estar de brincadeira. Qualquer festa de " Cururu" em Mato Grosso recebe mais recursos do que esse valor "gigantesco". Senhores políticos, vamos deixar de palhaçada as vésperas de eleição. Com 1,5 milhão hoje vem dia você não compra nem uma esteira para transporte de grãos, imagina reativar um posto que não tem quase que nada a não ser o local. O cacerense está de saco cheio com essas palhaçadas, de Porto, Zpe, Hidrovia, saída para o pacífico. Tomem vergonha..

  • Ggm | Sexta-Feira, 24 de Janeiro de 2020, 20h06
    2
    0

    Sem futuro.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS