22 de Novembro de 2019,

Economia

A | A

Quarta-Feira, 26 de Junho de 2019, 19h:45 | Atualizado:

PENHORA DE BENS

Empresária avaliza dívida de ex-deputado e fica sem joias, móveis e obras de arte

Dilair Daroit deu aval em dívida contraída pelo ex-marido e ex-deputado Mauro Savi


Da Redação

joias-dilair.jpg

 

Mesmo alegando não reconhecer sua assinatura em uma nota promissória, a empresária Dilair Salete Daroit Savi foi alvo de uma penhora de bens determinada numa ação de execução de dívida no valor de R$ 1,3 milhão. Ex-esposa do ex-deputado estadual Mauro Savi (DEM), ela recebeu a visita de dois oficiais de Justiça nesta terça-feira (25) acompanhados de um advogado representante da empresa Miranda Incorporadora e Locadora de Máquinas Ltda, autora do processo. A dívida foi contraída por Savi tendo Dilair como avalista.

Do imóvel, eles levaram diversas jóias que foram encaminhadas para o Banco do Brasil. Dilair também ficará sem alguns móveis e obras de arte de alto valor. Tais objetos serão levados da residência em outro momento. A ordem judicial foi concedida pela juíza Paula Saide Biagi Messen Mussi Casagrande, da 1ª Vara Cível de Sorriso, no dia 14 de maio deste ano. 

A ação de execução de título extrajudicial tramita na Justiça desde o dia 25 de julho de 2018. Diante da comprovação da dívida, na qual Dilair Savi foi avalista, a magistrada deu ganho de causa à autora e determinou a penhora de bens. Por sua vez, a empresária alegou que houve “falsidade de sua  assinatura” constante da nota promissória que instrui o processo e exigiu  a realização de uma perícia. 

“Considerando que a penhora online atende à ordem de preferência dos bens penhoráveis insculpida no artigo 854 do Código de Processo Civil, defiro o pedido de bloqueio de valores junto ao Bacenjud e, ato contínuo, procedo à operação necessária, conforme se verifica dos extratos anexos”, despachou a magistrada em maio deste ano ao determinar a intimação da parte executada para que se manifestasse em cinco dias. 

“Por outro lado, resultando frustrada a penhora via Bacenjud e, defiro a busca via Renajud, devendo a Secretaria da Vara proceder na forma da Ordem de Serviço nº 01/2016. Sendo exitosa a busca, expeça-se o necessário a penhora, lavrando-se o respectivo termo”, escreveu a juíza. 

joias, dilair savi

 

As diligências na residência de Dilair Daroit foram acompanhadas por um representante dela no processo e também pelo advogado Izonel Pio da Silva, representante da empresa credora. Ao FOLHAMAX, ele se limitou a dizer que a dívida é oriunda de máquinas pesadas e vários serviços prestados. Ressaltou, no entanto, que prefere não entrar em detalhes quanto à origem da dívida. 

Sobre a penhora de bens, ele inclusive, indicou quais objetos da residência são de interesse de seu cliente, no caso a empresa Miranda Incorporadora e Locadora de Máquinas. “Eu fiz a penhora de imóveis e móveis da residência, mas não tinha como naquele momento levar os móveis. Eu estava lá e junto com os dois oficiais levei as joias para o Banco do Brasil. Os moveis vou pegar em outra oportunidade. São móveis valiosos e obras de arte de alto valor”, conta o jurista. 

FALSIFICAÇÃO DE ASSINATURA 

Alegando desconhecer sua assinatura, Dilair Dairoit Savi interpôs um recurso de embargos à execução no dia 14 de março deste ano. O recurso foi aceito, mas sem efeitos suspensivos. O pedido de perícia na assinatura foi autorizado pela juíza Paula Saide Biagi em maio e ainda não foi realizada. Para proceder com o exame grafotécnico foi nomeada como perita judicial Nayane Barbosa Lanzieri. 

Após os prazos de notificação, apresentação de valores dos honorários e concordância da parte ré, a perita deverá produzir um laudo e apresenta-lo em cartório em 20 dias. Apesar disso, o processo não foi suspenso. 

“Eles não tinham o que alegar e pediram pericia na assinatura da avalista que é a Dilair. Ela disse que não se lembrava de ter assinado a promissória, mas a execução está correndo normal, não está suspensa. Eles poderiam ter garantido o juízo e embargado a decisão. Assim suspendia e execução, mas como não fizeram o processo correu normalmente”, explica o advogado Izonel Pio da Silva.

Galeria de Fotos

Postar um novo comentário

Comentários (7)

  • Abgail | Quinta-Feira, 27 de Junho de 2019, 19h18
    0
    0

    Haroldo deve ser um corno, todo corno é assim mesmo, negócio dele e meter o pau, seja lá em quem for, mete o pau na sua mulher que deve tá querendo muito, kkkkkk chifrudaooooooooo

  • MARIA TAQUARA | Quinta-Feira, 27 de Junho de 2019, 15h54
    0
    0

    acho é pouco perto da vida de luxo e outros benefícios que foram aproveitados à custas do estilo de vida do ex-marido

  • FIDEDIGNO | Quinta-Feira, 27 de Junho de 2019, 12h03
    2
    0

    voce deixou penhorar todos as minhas joias! vai apanhar de fio elétrico. kkkkkkk

  • José | Quinta-Feira, 27 de Junho de 2019, 08h21
    9
    1

    Não perdeu nada é produto ilícito?

  • Shomano | Quinta-Feira, 27 de Junho de 2019, 06h27
    14
    0

    Esse Mauro Savi é pilantra mesmo hein! Devia estar no xilindró!

  • Leal | Quinta-Feira, 27 de Junho de 2019, 05h28
    9
    2

    Ex-mulher...???Avalista de político??? Essa é boa samaritana mesmo!!!Perdeu seus bens e o bonitão , há muito tempo,trocou ela por uma (ou várias) periguetes...!!!Vai,viu fia,confiar em político...

  • Haroldo | Quinta-Feira, 27 de Junho de 2019, 00h22
    9
    0

    Mas o ex santo que so nasceu a luz devido a essa ex mulher não está preso até agora por falta de que? Vergonha na cara das autoridades coniventes e total descaso com os crimes deste sr e assim segue o jogo de pão e circo. Mais uma. Investiguem quem são os verdadeiros socios desta tal de Miranda e coloquem Justiça os pimgos nos is. Essa foi mais uma enganada de uma quadrilha de São Jão.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS