Economia Quarta-Feira, 10 de Julho de 2024, 12h:01 | Atualizado:

Quarta-Feira, 10 de Julho de 2024, 12h:01 | Atualizado:

EXPLOSÃO

MT e mais 3 estados disputam fábrica chinesa que investirá R$ 2 bi

Estado é maior produtor nacional de milho

Da Redação

Compartilhar

WhatsApp Facebook google plus

china-milho.jpg

 

A Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt) recebeu, nesta terça-feira (9), representantes da empresa chinesa Fufeng Group Limited, líder global em biofermentação, com foco em produtos de nutrição animal, alimentos, bebidas, fármacos, entre outros. A visita teve como objetivo principal discutir a possibilidade de instalação de uma indústria de fermentação biológica destinada à produção de aminoácidos a partir do milho.

No entanto, a comitiva ainda vai visitar outros três estados: Mato Grosso do Sul, Goiás e Paraná, para depois escolher qual dos quatro estados vai receber a fábrica. O projeto prevê um investimento de aproximadamente US$ 400 milhões, ou seja, cerca de R$ 2 bilhões, com capacidade para processar 660 mil toneladas de milho por ano, contribuindo para o desenvolvimento econômico do estado.

Para Silvio Rangel, presidente do Sistema Fiemt, a iniciativa destaca o potencial de Mato Grosso na agroindustrialização. “O estado está em um vertiginoso crescimento agroindustrial e, consequentemente, econômico. O Sistema Fiemt tem um papel fundamental nesse avanço, seja apoiando as indústrias na importação e exportação, bem como auxiliando a implantação de negócios no estado”, diz.

A visita da companhia chinesa faz parte de uma série de agendas de negócios marcadas pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de Mato Grosso (Sedec). “A Sedec segue trabalhando pela internacionalização e prospeção de negócios para Mato Grosso. Já é a segunda vez da Fufeng aqui, estamos evoluindo nas tratativas e isso significa geração de emprego e renda, movimentação econômica e destaque para o Estado. O Governo do Estado vem dando todo suporte e auxílio para que empresas possam instalar-se aqui”, afirma o secretário da Sedec, César Miranda.

A comitiva chinesa, liderada pelo gerente-geral do projeto da Fufeng no Brasil, Jinzhao Xu, já visitou as cidades de Sorriso, Lucas do Rio Verde, Nova Mutum, Rondonópolis e Cáceres, com o objetivo de identificar o local ideal para a expansão do negócio. “Queremos que a nossa nova planta fabril fique próxima de onde tenha o maior número possível de produção de milho”, diz Jinzhao.

No que depender de Mato Grosso, a Fufeng não terá dificuldade em encontrar matéria-prima, haja vista que o estado se mantém na liderança como o maior produtor de milho do país, com 38% da produção nacional. Atualmente, a empresa chinesa está presente na América do Norte, Ásia, Europa, e projeta chegar na América do Sul pela primeira vez, em território mato-grossense.

Com produtos comercializados em mais de 115 países, a Funfeng realizou uma venda total de US$ 3,9 bilhões em 2023, emprega 20 mil funcionários e se destaca como um dos maiores produtores mundiais de goma xantana, glutamato monossódico (MSG) e aminoácidos. Pela empresa chinesa, participaram da reunião o engenheiro sênior de termoeletricidade, Tianqing Yang, o gerente de relações comerciais internacionais, Yawei Li, além do intérprete de português, Yuhang Zheng. Estava presente também o coordenador de Comércio Exterior da Sedec, Leonardo Figueiredo.

A visita contou ainda com a presença de representantes da Fiemt, entre eles, o gerente de Relacionamento e Desenvolvimento Industrial, Lucas Barros, o coordenador de Internacionalização, Antônio Lorenzi, e os especialistas do setor, Guilherme Junglaus e Giulia Correa, juntamente com Katiane Toldi e Juliana Lotufo, do Observatório da Indústria do Sistema Fiemt. A reunião teve a participação do diretor executivo da Barralcool, Gabriel Portocarrero, e do diretor da Cooperativa Agrícola de Produtores de Cana Campo Novo Parecis (Coprodia), Pedro Santos. Estiveram também no encontro o Sindicato das Indústrias Químicas do Estado do Mato Grosso (Sindiquim), a Indústria de Bioenergia do Mato Grosso (Bioind) e a empresa Cloro MT.





Postar um novo comentário





Comentários (12)

  • Cleusa C. Amaral.

    Quinta-Feira, 11 de Julho de 2024, 12h43
  • O Estado de Mato Grosso só tem a ganhar, caso vença os concorrentes...Matéria prima nós temos de sobra. Somos fortes na produção de milho ?...
    1
    0



  • REIS

    Quinta-Feira, 11 de Julho de 2024, 08h53
  • Rapaz, cadê o prefeito do vale dos desocupados? ALTO PARAGUAI, NORTELANDIA, ARENÁPOLIS, E TODA aquela região, vão atrás dessa oportunidade, essa região ai esta na UTI, levantem essa bunda e levem progresso para essa região que está virando só suporte para TRÁFICO DE DROGAS E PARA PISTOLEIROS.
    2
    0



  • Sócrates de Albuquerque Menezes

    Quinta-Feira, 11 de Julho de 2024, 08h24
  • Não é xenofobia; seria muito mais satisfatório que o país montasse seu próprio empreendimento, no máximo com ajuda de capital estrangeiro, mas sem depender totalmente de um país como a China, comunista, e que não respeita leis trabalhista.
    3
    4



  • Elaine

    Quinta-Feira, 11 de Julho de 2024, 06h24
  • Só deseja chineses abrindo fábrica aqui, quem nunca trabalhou para eles. Preconceituosos com os brasileiros, não respeitam a legislação trabalhista. Sinceramente, eu desejo que os matogrossenses não passem por essa experiência. Basta fazer um levantamento com as pessoas que tiveram essa infeliz experiência.
    8
    4



  • Isaias Miranda - jesus meu tesouro !

    Quarta-Feira, 10 de Julho de 2024, 23h06
  • Abisúrdo entregar nosso querido Mato Grosso para os comunistas! O fim está próximo. Deus é fiel!
    3
    9



  • João Paulo

    Quarta-Feira, 10 de Julho de 2024, 18h51
  • O Brasil deveria ter sua própria fábrica ao invés de depender da China em seu próprio país
    9
    3



  • Wilma Oliveira Abreu

    Quarta-Feira, 10 de Julho de 2024, 15h27
  • O município de Lucas do Rio Verde MT, está totalmente preparada pra receber um investimento dessa envergadura pois conta com ápio política e um campo de produção vastissimo podendo atender a necessidade da indústria. Além de estar entre outros municípios que produzem os mesmos grãos.
    3
    1



  • Paula

    Quarta-Feira, 10 de Julho de 2024, 15h15
  • Mais uma vez Várzea Grande fica fora da disputa, por total incompetência do Secretário de Desenvolvimento Econômico. péssimo gestor. Criaram uma secretaria para atrair grandes empresas para VG, mas não fizeram nada. Ai colocaram um sub que não sabe nem o que ele faz dentro da Secretaria. Parabéns.
    5
    1



  • Paulo

    Quarta-Feira, 10 de Julho de 2024, 14h36
  • Cáceres seria ideal, ZPE...rios navegáveis... muita terra para plantil... e próximo a Barra do Bugres... mas... não tem força política, começando pela Câmara de vereadores, poucos ali são preparados para receber um investimento como esse.
    4
    1



  • Xô Mano Rico

    Quarta-Feira, 10 de Julho de 2024, 13h49
  • Hummmm, faz um favor p/ nós Chinês passa longe de "Várzea Grande" vcs não vão conseguir nem fazer a fundação da empresa, vai chover fiscal da prefeitura, vereadores, prefeito, guarda municipal e outros agentes para poder atrapalhar e atrasar tudo, sem contar com a interminável burocracia da prefeitura, taxas,,taxas,,taxas,,,depois mais taxas,,taxas,,taxas,,,,,,,,,,,,,, cartório...cartório..cartório..cartório..cartório...depois o cafezinhos,,,cafezinhos,,,cafezinhos,,, por fim os Campos..Campos...Campos...Campos...Campos e Baractes...Baractes........................................é foda viu !
    16
    3



  • CIBELI

    Quarta-Feira, 10 de Julho de 2024, 13h48
  • Deputado Max e deputado Wilson Santos, lá na nossa querida cidade de Dom Aquino MT, precisa de um investimento nesse tamanho.
    4
    4



  • Rondonópolis

    Quarta-Feira, 10 de Julho de 2024, 13h20
  • Melhor região disparada é Rondonópolis, uma cidade polo com grande potencial.
    8
    2









Copyright © 2018 Folhamax - Mais que Notícias, Fatos - Telefone: (65) 3028-6068 - Todos os direitos reservados.
Logo Trinix Internet