23 de Agosto de 2019,

Entrelinhas

A | A

Segunda-Feira, 22 de Julho de 2019, 22h:35 | Atualizado:

THE INTERCEPT

Silval vira referência nacional em desvio

capacete-silval.jpg

 

O tristemente famoso ex-governador Silval Barbosa ganhou (má) fama ao ter seu nome citado nas conversas do chefe da força-tarefa da Lava Jato, procurador Deltan Dallagnol, vazadas pelo site The Intercept Brasil, no domingo (21). A citação foi feita por um dos procuradores do MPF, Danilo Dias, ao comparar o escândalo envolvendo Fabrício Queiroz e o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro, ao esquema de "mensalinho" de Silval. 

A encrenca de Flávio Bolsonaro diz respeito a um suposto esquema de contratação de funcionários fantasmas e lavagem de dinheiro, quando era deputado no Rio de Janeiro. Silval confessou o roubo de R$ 1 bilhão dos cofres de MT. 

Só que, entre 2011 e 2014, na sua gestão, SB, conforme delação premiada, pagou propina (R$ 600 mil para cada) a 24 deputados. A dinheirama teria como origens obras do MT Integrado, da Copa de 2014 e empresas beneficiadas com incentivos fiscais. 

Galeria de Fotos

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Amanda Duarte | Terça-Feira, 23 de Julho de 2019, 09h13
    4
    2

    Não esqueçam que em Setembro vão nomear o Novo Arquivador Geral da República. É a Nova Política!

  • José | Terça-Feira, 23 de Julho de 2019, 08h22
    7
    1

    QUANDO É QUE SERÁ INVESTIGADO O DESGOVERNO PEDRO TAQUES ? O DESGOVERNO PEDRO TAQUES QUEBROU O ESTADO POR CAUSA DOS MAIS DE R$25 BILHÕES DE IRREGULARIDADES EM 2015 A 2018. Até agora não foi apurada a responsabilidade de todos os membros do desgoverno taques quanto aos desvios e fraudes do desgoverno da transformação do estado em caos e roubalheira, cujas irregularidade somadas já ULTRAPASSARAM OS $25 BILHÕES. Só para lembrar aí vai a lista detalhada dos mais de $25 bilhões em irregularidades pendentes de serem apuradas: R$69 milhões em desvios na caravana da transformação; perdão de R$645 milhões em dívida da petrobrás; perdão de R$5 milhões de reais em dívidas da unimed cuiabá; a operação Rêmora por desvio de R$57 milhões na SEDUC; operação Bereré por desvio de R$30 milhões no Detran; operação Grampolândia na segurança pública usada para chantagear adversário; delação de Alan Malouf sobre Brustolin recebendo R$80 mil por fora todo mês; delação de Alan Malouf e Perminio indicando que secretários (Permínio, Brustolin, Julio Modesto e etc) recebendo mensalinho de R$30 mil/mês; mensalinho R$100 milhões por dentro para os deputados; rombo de R$4 bilhões no caixa e desvio de $500 milhões do Fundeb; desvio de R$1,2 milhões no fundo de trabalho escravo; desvio e apropriação de R$300 milhões dos municípios; desvio e apropriação de R$300 milhões dos poderes; aumento de $2 bilhões nos Incentivos Fiscais; aumento de milhares de cargos políticos comissionados, aumentou da folha de pagamento pela contratação de mais de 10.000 pessoas; uso da justiça para proteger seus amigos e secretários conforme disse o cabo Gerson; delação de Alan Malouf tratando de 12 tipos de corrupção entre elas os $10 milhões de caixa 2 administrados por Alan Malouf e Julio Modesto; licitação irregular de 11 bilhões para transporte interestaduais; desvio de R$58 milhões em pontes na SINFRA; $300 milhões em vantagem cobrada de quem recebeu antecipado no decreto do bom pagador; crédito de R$100 milhões para o primo Paulo Taques; maracutaia com a juizá candidata para ferrar o Silval e a família dele; irregularidades de R$3 bilhões no Edital nº 02/2018 da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) sobre rodovias MT 246, MT 343, MT 358 e MT 480. Além disso, apropriação indébita de R$70 milhões descontado dos salários dos servidores públicos para pagar empréstimos consignados, estouro da folha pagando vantagens para apaniguados políticos que receberam salários acima de R$100 mil, contratação irregular de 2000 cabos eleitorais na SEDUC para fazer campanha para o ex-secretário Mahafon, peculato ao gastar R$10 milhões em telefone por secretaria do estado durante a campanha eleitoral para o governo 2018; R$180 milhões em indenizações irregulares pagas em 2018 as empresas supostamente prestadoras de serviços na Secretaria de Estado de Saúde Secretaria. Pedro Taques e Gallo cometeram crime de responsabilidade de R$3,7 bilhões ao deixar restos a pagar para o próximo governo sem a devida provisão de fundos exigida na Lei de Responsabilidade Fiscal.

  • Hamilton | Terça-Feira, 23 de Julho de 2019, 07h17
    5
    0

    A gravação mostra outra coisa. A seletividade e pirotecnia para pessoas ganharem dinheiro tanto no âmbito nacional e estadual. A Selma que o diga rs

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS