08 de Abril de 2020,

Mundo

A | A

Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h:00 | Atualizado:

EM ÔNIBUS

Mulher denuncia ter sido vítima de racismo

racismo-onibus-2.jpg

 

A vendedora Maria de Lurdes Melo, de 70 anos, denunciou ter sido vítima de racismo e preconceito em um ônibus do transporte público que liga Curitiba à São José dos Pinhais, na Região Metropolitana.

Ela conta que uma outra passageira a tirou de um banco preferencial por estar incomodada com a sua presença.

"Foi bem categórica mesmo: 'Eu não gosto de negro e nem velho. Sai para eu sentar", relembra Maria.

O caso aconteceu em um veículo que faz a linha Boqueirão/Afonso Pena, na quarta-feira (24). A mulher foi presa em flagrante pela Guarda Municipal de São José dos Pinhais pelo crime de injúria racial.

Relato

Segundo Maria, ao entrar no ônibus, uma outra passageira ofereceu a ela um lugar entre os assentos preferenciais. Uma mulher, que estava em um banco ao lado, segundo a idosa, se incomodou com a situação.

Depois, Maria disse que ligou para a Guarda Municipal de São José dos Pinhais, que efetuou a prisão da suspeita.

"Eu estou procurando meus direitos. Eu não peço, eu estou exigindo, porque eu sou um ser humano. Não só eu, como todos os negros", afirmou a idosa.

Outras pessoas, que acompanharam a situação, relataram apoio à idosa.

"Foi bem revoltante mesmo, sabe. Deu dó da senhora. Ainda bem que ela teve postura, de chegar e ligar e levar isso para frente e não deixar as coisas ficarem assim", comentou uma passageira.

Maria disse ainda que espera que a atitude que tomou, em denunciar o caso, incentive outras pessoas a buscarem seus direitos.

"Temos que ter orgulho do que somos (...) nós somos diferentes, mas a gente tem que aprender com as diferenças", concluiu.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS