05 de Agosto de 2020,

Opinião

A | A

Domingo, 28 de Janeiro de 2018, 04h:00 | Atualizado:

Marcelo Rubles

Agarre a corda e suba!

marcelo-rubles.jpg

 

Como sair das dívidas? Essa é uma das perguntas mais pesquisadas no google, dando aproximadamente 323.000 resultados, ou seja, fórmulas e dicas existem aos montes, mas parece que não dão resultado prático, porque temos quase 60 milhões de brasileiros endividados segundo pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

Neste artigo você não vai ler o que está acostumado com dicas para economizar até no cafezinho, por exemplo. E sim, o relato de alguém que foi endividado, com um patrimônio negativo de quase R$ 250.000! Minha (ex) dívida nasceu como a da maioria dos brasileiros, carro parcelado em 48 meses, casa financiada, CDCs e empréstimos consignados para reforma e aquisição de imóveis para a tão sonhada casa e vários cartões de crédito com limites altos para suprir necessidades de consumo que poderiam muito bem serem controladas.

O grande problema é que por um bom tempo eu consegui ir rolando essa dívida, fazendo novos empréstimos, renegociando débitos em atraso, até que chegou o dia que me conscientizei que precisava de ajuda, que estava doente financeiramente, que todas as portas estavam fechadas.

Preste atenção:  só quando  cheguei neste ponto é que resolvi mudar de vida. O grande problema dos endividados é que estão acomodados, dão sempre um jeitinho, vão empurrando as dívidas. Só consegui mudar minha realidade porque fui em busca de conhecimento. Estudei tudo o que tinha sobre finanças, livros, fiz cursos, assisti vídeos… e com isso mudei o rumo da minha história, quitei minhas dívidas, comecei a investir. O mais interessante é que sei como é estar no fundo do poço, tanto que hoje sou a pessoa que joga a corda para ajudar as pessoas a subirem e  saírem de lá. 

Marcelo Rubles é Educador Financeiro, Coach e Vice-Presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (ABEFIN) mrubles@hotmail.com

 



Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS