07 de Julho de 2020,

Opinião

A | A

Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020, 14h:01 | Atualizado:

Eustáquio Rodrigues

Reunião Ministerial - novo concorrente para o Zorra Total

eustaquio.jpg

 

Muito se tem falado a respeito do vídeo da reunião ministerial. Alguns falam apenas em cima de comentários. Outros falam tendo como base apenas as repetitivas reportagens. Poucos foram aqueles que assistiram o vídeo na íntegra e construíram uma opinião própria.

Bem, eu assisti ao vídeo na íntegra e aqui vão minhas conclusões.

1 - É uma pena o nível intelectual e de gestão dos nossos ministros. Em sua maioria são fracos e estão lá por amizade, lealdade ou indicação política. Faltou um debate de alto nível, e sobraram críticas, algumas assertivas, outras destrutivas. Conclusão: muitos xingamentos e ironias e poucas ideias, igual uma típica mesa de bar regada a muito litrão de cerveja.

2 - O Ministro da Educação, Weintraub, não falou nada demais. De forma não muito polida chamou os Ministros do STF de vagabundos e expressou seu íntimo desejo de vê-los todos na cadeia. Conclusão: salvando uns poucos ministros do Supremo, ele expressou o pensamento e o desejo de milhões de brasileiros.

3 - O Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse para aproveitarem, já que estamos todos focados no "Jornal Nacional” e preocupados com a COVID-19, e passarem o trator onde houver mato, abrindo caminho para os parças fazendeiros. Conclusão: aquele que é pra cuidar do meio ambiente, acaba cuidando mais do agrobusiness, fato que ocorre em Brasília e em quase todos os estados da federação - ministros e secretários parceiros do agronegócio e se lixando para o meio ambiente.

3 - O Ministro Paulo Guedes, de extenso currículo, defende muitas coisas boas, mas precisa explicar por que tanto ódio para com o servidor público. Tanto que deseja colocar uma granada em nossos bolsos. Menos, né ministro? Além disso, falou mal do Plano Marshall: ele pode até não ter gostado do plano, mas não pode negar que ele funcionou muito bem. Conclusão: esqueça o Plano Marshall, acabe com os privilégios da casta do serviço público (Judiciário, Legislativo e Ministério Púbico) e promova uma verdadeira e ampla avaliação de desempenho que já vai melhorar muito.

4 - Ficou claro porque a Ministra Damares foi escolhida e se mantém no cargo. Foi a maior bajuladora da reunião e teve a fala mais irritante. Não disse nada de útil e ainda deu spoiler sobre futuras prisões de governadores e prefeitos. Conclusão: ninguém gosta de spoilers, muito menos de puxa-sacos.

5 - O Presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, defendeu de forma tímida a privatização do Banco do Brasil, já que, até o momento, Bolsonaro é contra. Disse que a privatização enfrenta resistência política, mas não disse de quem. Além do mais, ele deseja tirar o Banco do Brasil da incômoda posição de um dos piores bancos do Brasil. Conclusão inconclusiva: leitor, qual é pior? Banco do Brasil ou Caixa Econômica Federal?

6 - O Ministro Braga Neto, da Casa Civil, tentou expor o Plano para mitigar os efeitos da pandemia e logo percebeu que quase ninguém estava muito interessado. Mesmo assim ele insistiu e explicou, muito embora não tivesse a mínima ideia de como executaria esse plano. Conclusão: típico em vários ministérios e secretarias estaduais em que planos mirabolantes são pensados e apresentados sem ninguém ter a mínima ideia de como tais planos serão executados.

7 - Ministro Moro: cri cri cri. Conclusão: ele já estava de saco cheio daquela zona.

8 - Já o Presidente Bolsonaro xingou, esperneou, debochou, defendeu a família, a ordem e o progresso. Falou muitas bobagens e algumas verdades importantes. Mas em nenhum momento falou explicitamente que vai interferir na PF - não que ele não tenha querido isso em outro momento ou por outro canal. Mas o vídeo não se presta a isso, a comprovar sua interferência na PF. Conclusão: nosso atual presidente está longe de ser um ótimo presidente, mas definitivamente ele não é pior que a presidanta, que o presidente ladrão, que o presidente boca mole, que o presidente folião, que o presidente fanfarrão e que o presidente do Maranhão. E temos que admitir: somos péssimos em eleição.

Eustáquio Rodrigues Filho – Cristão, Servidor Público e Escritor. Autor do livro “Um instante para sempre”. Instagram: @epelomundo

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • alexandre | Sexta-Feira, 29 de Maio de 2020, 08h15
    1
    2

    Boa avaliação, Bolsonaro é o povo, muito mimimi da imprensa de esquerda..

  • Christmann Hilleshein Cardoso | Sexta-Feira, 29 de Maio de 2020, 08h11
    1
    2

    Pois bem! Eu também assisti o vídeo na íntegra. Minhas opiniões a respeito, em vários pontos, são bem diferentes da sua. Por quê? Eu sou de direita e você de esquerda, e pelo jeito seu nível intelectual se mostra bem limitado quando afirma que o Paulo Guedes tem ódio de servidor público, ele prefere um estado mais enxuto e eficiente, ou você acha que o estado brasileiro, do tamanho que é, é eficiente e eficaz no que faz? Damares não fez o que tu disse, ela expressou a motivação cristã do governo e do povo brasileiro, bem poderia acontecer a prisão de prefeitos e governadores usurpadores dos direitos dos cidadãos; Ricardo Salles está sendo um dos maiores expoentes na luta contra as burocracias enforcantes e no combate da máfia da terra, não consegue fazer mais por causa dos corruptos do Congresso; Não meça a intelectualidade alheia pela régua curta da sua, você pode passar vergonha atribuindo burrice a quem é mais inteligente que você. Fica claro que sua opinião está relacionada as pessoas e não ao conteúdo da reunião. Patético! Poderia ter ficado calado e não ter se exposto dessa forma ridícula.

  • Edmar Roberto Prandini | Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020, 21h15
    2
    1

    Discordo veementemente das avaliações do autor. Considero que em todos os pressupostos com que ele interpreta os fatos estejam equivocados. Mas, todos tem direito de expressar-se. E, não há diálogo se não se ouve a opinião diversa da sua, algumas vezes divergentes. Neste caso, não há divergência, porque não somos juízes dos acontecimentos. Mas, enquanto intérpretes, diferimos radicalmente.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS