27 de Janeiro de 2020,

Polícia

A | A

Quinta-Feira, 05 de Dezembro de 2019, 15h:22 | Atualizado:

Ex pega 33 anos de prisão por matar jovem em Tangará

kelly-tangara.jpg

 

O réu Wesley Douglas Santos Souza foi condenado pelo Tribunal de Júri da Comarca de Tangará da Serra a cumprir pena de 33 anos de prisão em regime inicial fechado, pela morte da ex-companheira Keli Tavares da Silva, ocorrida em setembro de 2018. A vítima foi esfaqueada na frente do filho do casal, de quatro anos. A sessão, realizada na segunda-feira (2 de dezembro), foi conduzida pela juíza Edna Ederli Coutinho, da Primeira Vara Criminal de Tangará da Serra (Processo n. 292484).

Wesley foi condenado pela prática de crime de homicídio, qualificado como feminicídio, por motivo fútil e pelo recurso que dificultou a defesa da vitima, além do aumento da pena por matar a vítima na frente do filho. Os jurados reconheceram a materialidade e a autoria do crime atribuído ao acusado.

Conforme consta do processo, Wesley agiu de forma fria, esfaqueando a vítima e foragindo em seguida, levando o celular da vítima, deixando o filho sozinho no local e sem solicitar socorro. Posteriormente, o réu utilizou do celular de Keli para ameaçar a mãe dela.

Ainda de acordo com o processo, os jurados consideraram fútil o motivo do crime, praticado por cobranças por parte da vítima quanto a explicações sobre a razão de o réu não ter levado o filho à creche e também por cobranças de pensão alimentícia. Anteriormente Wesley já havia sido condenado por tráfico de drogas.

A prisão preventiva foi mantida em virtude da gravidade concreta do delito, da ameaça feita à mãe da vítima e pela pena fixada e, com isso, foi-lhe negado o direito de recorrer em liberdade.

 

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS