18 de Outubro de 2019,

Polícia

A | A

Quarta-Feira, 18 de Setembro de 2019, 06h:45 | Atualizado:

Homem é condenado por tentar matar colega com canivete


Gazeta Digital

Os jurados do Tribunal do Júri condenaram Alex Naves Ferreira por esfaquear o colega Mariano Santana da Guia e Silva, enquanto bebiam em um bar do CPA 2, em Cuiabá. O julgamento ocorreu na segunda-feira (16). Ele cumprirá pena em liberdade.

Conforme a sentença assinada pela juíza Mônica Catarina Perri, do Tribunal do Júri, a acusação de tentativa de homicídio foi desqualificada para lesão corporal.

“Não bastasse a ausência do laudo pericial para aferir a gravidade das lesões sofridas pela vítima, não há notícia nos autos de que tenha, em virtude dos ferimentos, resultado em incapacitada para as ocupações habituais por mais de trinta dias, corrido risco de morte, ou adquirido debilidade permanente de membro, sentido ou função”, justifica para a alteração do crime pelo qual o homem responde.

À polícia, o réu admitiu o crime e disse que agiu em legítima defesa. Populares confirmaram o crime e os jurados reconheceram que Alex atacou o colega, mas não que ele tentou matar.

“Pelo exposto e considerando a vontade soberana do Conselho de Sentença, condeno o réu Alex Naves Ferreira a pena de 03 meses de detenção, em regime aberto”, é a sentença.

O acusado contou que era operador de brinquedos em um parque montado na Praça Cultural do CPA 2 e o réu o convidou para beber. Eles se conheciam e foram para um bar perto do local. Beberam pinga e whisky, quando o a vítima passou a ofender e ameaçar o réu.

“O bar que foram era ao lado do palco da praça, começaram tomando whisky, pinga e fumaram, sendo que o interrogado (Alex) pagou toda a despesa; que Mariano passou a ofender o interrogado do nada, sem motivos e em seguia deu 3 tapas em seu rosto, como o interrogado estava com um canivete nas mãos deu 3 ‘xuxadas’ nas costas de Mariano”, contou em depoimento à polícia.

A vítima foi socorrida e levara para o Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá (PSMC) por populares.

O réu não tem antecedentes criminais e não compareceu ao julgamento. O crime aconteceu em 17 de novembro de 2008, por volta das 18h30.

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS