10 de Abril de 2020,

Polícia

A | A

Quinta-Feira, 26 de Março de 2020, 16h:50 | Atualizado:

QUARENTENA

MP teme aumento de agressões de homens contra mulheres em MT

Orgão monta estrutura para acompanhar eventuais casos

MULHER-VIOLENCIA.jpg

 

O isolamento social provocado pela Covid-19 chama a atenção das autoridades para um possível aumento dos casos de violência doméstica e familiar contra a mulher. Em Mato Grosso, promotores de Justiça de todo o estado foram orientados a monitorar os casos e reforçar a divulgação dos canais de atendimento.

A coordenadora do Centro de Apoio Operacional Sobre Estudos de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher e Gênero Feminino, promotora de Justiça Laís Glauce Antonio dos Santos explica que eventuais denúncias podem ser feitas à Polícia Militar (190), à Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência (180) ou pela Ouvidoria do MPMT (65 99259 – 0913).Além disso, em Cuiabá a Patrulha Maria da Penha prossegue atendendo as ocorrências normalmente.

A Delegacia Especializada de Defesa da Mulher também continua com seus atendimentos, na forma presencial, das 7h30 às 13h30. “Caso a vítima não tenha condições de ir até a delegacia, é possível fazer o registro da ocorrência pela Delegacia Virtual e, em seguida, encaminhar as suas declarações para o e-mail da delegacia (dmulhercba@pjc.mt.gov.br)”, explicou.

A Casa de Amparo às Mulheres Vítimas de Violência Doméstica também está funcionando para acolher aquelas que estejam em situação de risco. De março de 2019 a março de 2020, o Ministério Público do Estado de Mato Grosso ofereceu em todo o Estado 255 denúncias criminais relativas à Lei Maria da Penha. Em Cuiabá, o Núcleo de Promotorias de Justiça que atuam no combate à violência doméstica e familiar contra a mulher é composto por quatro promotores de Justiça e 17 servidores, entre assessores e técnicos administrativos. A coordenação das Promotorias de Justiça está a cargo da promotora Elisamara Sigles Vodonós Portela

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS