04 de Agosto de 2020,

Polícia

A | A

Quinta-Feira, 29 de Outubro de 2015, 11h:05 | Atualizado:

OPERAÇÃO MÃE DO OURO

PF prende 11 garimpeiros e servidores públicos em MT

Nove pessoas, entre garimpeiros e servidores públicos, foram presas no primeiro dia da operação "Mãe do Ouro", deflagrada pela Polícia Federal na região Norte de Mato Grosso, na quarta-feira (28). A operação, que combate a extração e comercialização ilegal de ouro, deve continuar nesta quinta-feira (29) para tentar localizar dois suspeitos que estão foragidos.

A Justiça Federal de Sinop, a 503 km de Cuiabá, expediu 19 mandados de busca e apreensão, 11 de prisão preventiva e um de condução coercitiva. As investigações começaram em 2013. “Algumas pessoas que foram presas até o momento são garimpeiros e outras são responsáveis pelos postos de compra de ouro localizados no norte de Mato Grosso”, declarou o delegado Samir Zugaibe.

Segundo a PF, dois dos servidores presos são da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema). As investigações apontam que os servidores emitiram licenças ambientais sem fiscalizar e nem visitar os garimpos no interior do estado. Funcionários da Companhia Mato-Grossense de Mineração (Metamat) também estariam envolvidos.

Os mandados foram cumpridos em Cuiabá, Nova Bandeirantes, Alta Floresta, Apiacás e Peixoto de Azevedo. Os servidores da Sema e Metamat teriam participação ao receber vantagens indevidas para liberação de licenças ambientais e para o esquentamento do ouro.

“Os postos de compra de ouro, ao receber esse ouro extraído ilegalmente, emitia uma documentação fraudulenta para dar aparência de legalidade ao ouro. A partir daí esses postos inseriam o ouro no sistema financeiro nacional”, explicou Zugaibe.

No primeiro dia de operação os agentes apreenderam 4 kg de ouro e aproximadamente R$ 70 mil. Todo o ouro era encaminhado para cidades no interior de São Paulo.

Postar um novo comentário

Comentários (10)

  • ilma peres coimbra de souza silva | Quinta-Feira, 29 de Outubro de 2015, 18h27
    1
    0

    e o setor de manejo florestal?

  • Giselle | Quinta-Feira, 29 de Outubro de 2015, 18h16
    1
    0

    A POLICIA FEDERAL É EFICIENTE, VAI CHEGAR NO SECRETÁRIO ADJUNTO, CUJAS AÇÕES SÃO, NO MÍNIMO, SUSPEITAS, JÁ FAZ TEMPO. NÃO SOBREVIVE A UMA MÍNIMA INVESTIGAÇÃO.

  • mario cesar | Quinta-Feira, 29 de Outubro de 2015, 18h04
    1
    0

    até quando os técnicos de carreira da sema vão pagar o pato por desvios de caráter e relações políticas e pessoais suspeitas de pessoas que ocupam cargos de decisão, que efetivamente assinam as licenças ambientais, até quando? alguns desses sujeitos na ânsia de se manter no cargo fazer qualquer coisa, até receber ordens de políticos, se vendem e pressionam técnicos a fazer coisas que não fariam se agissem por sua própria consciência. enfim, essa operação tem que ir mais fundo, tem que pegar esses peixes maiores, protegidos por políticos, e muitas vezes os técnicos só obedecem ordens.

  • consultor técnico | Quinta-Feira, 29 de Outubro de 2015, 17h56
    1
    0

    tem situações muito mais complicadas acontecendo lá na sema. por exemplo, no setor de manejo florestal a legislação é mero enfeite, leis e normas são simplesmente deixadas de lado por portarias, instruções normativas e simples parecer de uma procuradora. muitos artigos de leis estaduais e federais não são aplicados porque dizem que não dá tempo pra ver tudo na vistoria, então fazem por amostragem, ora, então porque existe essa tal vistoria técnica, só pra fazer de conta e passar o sabonete, e perfumar a sujeira e podridão que pode estar por trás disso tudo? esperamos que as ações da policia federal também atinja esse setor urgentemente. peguem meia dúzia de processos de manejo e fazem uma sobreposição sobre a legislação que deve ser aplicada, só isso.

  • Marcelo Zanella | Quinta-Feira, 29 de Outubro de 2015, 17h12
    3
    0

    E os secretários adjuntos não estão serão investigados???

  • GENTE | Quinta-Feira, 29 de Outubro de 2015, 13h16
    6
    0

    LICENÇA AMBIENTAL ÚNICA NA SEMA É PIADA. TEM FAZENDA QUE ESTÁ TOTALMENTE NO BIOMA FLORESTA E, DE FORMA INACREDITÁVEL, QUALIFICAM COMO CERRADO. A CONSEQUÊNCIA DISSO ? LIBERAR DESMATAMENTO. SE NÃO FIZER UMA DEVASSA NA SEMA É ATRASO PELO RESTO DA VIDA NO ESTADO.

  • karla | Quinta-Feira, 29 de Outubro de 2015, 12h39
    5
    0

    dá a entender essa reportagem que estão tentando ferrar os dois servidores presos e livrar a cara dos seus superiores que assinaram as licenças ambientais e tem obrigação de conferir o que estão assinando.

  • MOISES | Quinta-Feira, 29 de Outubro de 2015, 12h37
    6
    0

    ESSA REPORTAGEM ESTÁ EQUIVOCADA, OS TÉCNICOS DA SEMA NÃO TEM PODERES PARA LIBERAREM LICENÇAS AMBIENTAIS, QUEM TEM É O SECRETÁRIO ADJUNTO, O MESMO QUE ANDA DE BRAÇOS DADOS COM DEPUTADOS DO NORTÃO NOS CORREDORES DA SEMA.

  • maria augusta de vargas | Quinta-Feira, 29 de Outubro de 2015, 12h35
    7
    0

    a polícia federal precisa investigar é todo o setor de licenciamento da sema, a pressão dos chefes é muito grande para liberar licenças, e se fizer uma auditoria mais criteriosa nos processos irão descobrir coisas absurdas, precisam investigar porque os chefes pressionam tanto os técnicos para liberar licenças ambientais, nesse angu têm caroço.

  • durvalina meguelina | Quinta-Feira, 29 de Outubro de 2015, 12h32
    7
    0

    os servidores da sema não emitiram licenças, quem emite licença lá é superintendente e secretário adjunto, com aval do coordenador, que é o chefe imediato desses servidores.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS