11 de Agosto de 2020,

Polícia

A | A

Segunda-Feira, 22 de Janeiro de 2018, 19h:44 | Atualizado:

BRIGA POR HERANÇA

Presa por morte de padrasto planejava outro crime em MT

Andrea Carli queria matar enteada para ficar com casa do ex-marido

andreacarli.jpeg

 

A Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) prendeu uma mulher de 36 anos, acusada de mandar assassinar o vendedor de salgados, Nivaldo Francisco de Araújo, 58 anos, em 8 de agosto de 2017, no bairro Cristo Rei, em Várzea Grande.

Andreia Paula de Carli, 36, teve o mandado de prisão temporária cumprido na manhã desta segunda-feira (22.01), no bairro Residencial Paiaguas, em Cuiabá, durante trabalho repressivo e preventivo da DHPP. Ela é enteada da vítima e teria encomendado a morte do padrasto para ficar com a casa onde ele morava.

Na ocasião do crime, o corpo da vítima foi encontrado em sua residência, com perfurações de disparo de arma de fogo nas costas. A vítima era cozinheiro e trabalhava com a venda de salgados. Por volta das 05h44, do dia 8 de agosto de 2017, uma pessoa chegou a casa e pediu alguns salgados.  No momento que a vítima entregou e virou-se foi alvejada nas costas, com cerca de 5 disparos. Em seguida, o  homem que estava em uma motocicleta fugiu.

Conforme a delegada Ana Cristina Feldner, responsável pela investigação, a mulher planejava mandar executar a enteada, filha do marido que foi morto em 2014. O motivo seria o mesmo: para ficar com a casa, uma vez que não conseguiu a casa do padrasto e agora pretendia tomar a casa que o marido falecido deixou para a filha.

“Ela é a principal suspeita. A motivação seria porque ela tinha interesse na casa do padrasto. Ela fez ameaças, chegou a dizer, mandou cartas. Ela falou para alguns parentes que ele tinha que morrer. Após isso, ela usou o mesmo ‘modus operandis’ com a enteada. Mandou bilhete dizendo que iria matá-la. Recentemente chegou a persegui-lá mostrando uma arma. A enteada conseguiu despistar e registrou boletim de ocorrência”, explicou à delegada.

Para a delegada, a prisão da suspeita trata-se de uma ação repressiva, para  elucidação do caso do salgadeiro, mas também é um trabalho preventivo, que evitou o cometimento de mais um homicídio.

“Teve a participação de toda a delegacia. Foi um caso de bastante investigação porque não tínhamos o endereço, nenhuma informação, nem mesmo os familiares sabiam onde ela morava. Foi preciso fazer um trabalho primoroso de investigação para descobrir onde estava”, afirmou Feldner.

A suspeita presta interrogatório nesta tarde, após será submetida a exame de corpo delito e encaminhada a penitenciaria feminina, Ana Maria do Couto May, para cumprimento da prisão temporária de 30 dias, que poderá ser renovada por mais 30 dias ou convertida em preventiva a qualquer a momento. “As investigações continuam para elucidar a autoria do executor”, finalizou a delegada.

 



Postar um novo comentário

Comentários (9)

  • Nilda | Quarta-Feira, 24 de Janeiro de 2018, 19h08
    0
    0

    Pelo o que eu sei, a casa estava no nome da mãe dela e não do padrasto e ela sempre soube disso, com certeza

  • Nilda | Quarta-Feira, 24 de Janeiro de 2018, 18h58
    0
    0

    Pelo o que eu sei e casa, estava no nome da mãe dela e não do padrasto

  • Alencar | Terça-Feira, 23 de Janeiro de 2018, 12h11
    5
    0

    Tem que investigar também sobre a morte do ex marido desta em 2014, já que tudo indica q foi a mandante. Então, Dra Felder pega firme na investigação de 2014 também. Acreditamos na sua equipe.

  • carlos | Terça-Feira, 23 de Janeiro de 2018, 11h51
    2
    0

    KKKKKKKKKKKKKK QASIM NASSER ELA VAI TE MATAR TAMBÉM

  • Juca da Lixeira | Terça-Feira, 23 de Janeiro de 2018, 10h06
    20
    0

    Pessoal ela mandou matar o marido da mae dela. Acabou que ele morreu e ela nao conseguiu a casa. Sendo assim ela estava planejando matar a filha do ex marido dela que foi morto em 2014 e se ela matasse a filha do ex marido ficaria com a ksa do marido que ja esta morto desde 2014. Resumindo a historia nao conseguiu pegar a casa do padastro e nem do marido que esta morto desde 2014 e agora vai morar em condominio fechado com direito a 5 ou 6 refeiçoes por dia e vendo o sol nascer quadrado, para quem nao quer trabalhar e conquistar com seu suor ja ta bom demais né.

  • Dona Josi | Terça-Feira, 23 de Janeiro de 2018, 07h59
    14
    2

    Realmente, texto muito confuso. Parei de ler no meio, com tamanha confusão.

  • LUNETA | Terça-Feira, 23 de Janeiro de 2018, 06h57
    23
    0

    UMA SAFADA DESSA E SEU COMPARSA TEM MAIS QUE APODRECEREM NUMA CELA.

  • Paulo fernandes | Terça-Feira, 23 de Janeiro de 2018, 00h53
    17
    3

    Presa por morte de padrasto planejava outro crime em MTAndrea Carli queria matar enteada para ficar com casa do ex-marido???? que confusão, A ANDREIA ERA ESPOSA OU ERA ENTEADA? Reportagem ficou truncada. Pelo o que li, ela matou o marido e queria matar a enteada. aff

  • Qasim Nasser | Segunda-Feira, 22 de Janeiro de 2018, 19h58
    8
    8

    Essa beldade eu cuido dela!

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS