13 de Dezembro de 2019,

Polícia

A | A

Terça-Feira, 19 de Novembro de 2019, 12h:11 | Atualizado:

GUERRA NO CRIME

Trio é preso por decapitar membro de facção rival em Cuiabá

Corpo de Nelson Wolfred Shug Neto foi encontrado em cemitério clandestino

mortodecapitado.jpg

 

A Polícia Judiciária Civil, por meio da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), deflagrou na manhã desta terça-feira (19.11), uma operação com objetivo de cumprir sete ordens judiciais, entre mandados de prisão e de busca e apreensão, relativos à investigação do homicídio que vitimou Nelson Wolfred Shug Neto.

Durante os trabalhos, foram cumpridos mandados de prisão temporária contra os suspeitos, E.D.N.S., 26, C.A.M.,20, e E.S.D., 26, apontados nas investigações da DHPP como envolvidos no crime. 

O corpo da vítima foi encontrado no dia 08 de março, em uma região de mata, no bairro Santa Terezinha, na Capital, local que seria conhecido como cemitério de uma facção criminosa, atuante no estado. A vítima estava decapitada, com a cabeça ao lado do corpo e com sinais de tortura.

De acordo com as investigações da DHPP, o crime foi motivado por uma suposta rixa entre facções criminosas, uma vez que vítima veio do estado de São Paulo e dizia  pertencer a um grupo criminoso rival ao qual teria praticado o crime.

Segundo o delegado que coordenou os trabalhos, Olímpio da Cunha Fernandes Junior, foi uma investigação extremamente difícil, uma vez que inicialmente não havia indícios de quem poderia ter praticado o crime. 

“Como a vítima veio de outro estado e não conhecia ninguém na região, tentava contar vantagem dizendo ser membro de uma facção, fato que teria motivado a sua morte”

Com a identificação dos autores, o delegado representou pelos mandados de prisões e de buscas e apreensões contra os suspeitos, que foram deferidos pela Justiça e cumpridos pela equipe da DHPP nesta terça-feira (19), em endereços freqüentados pelos investigados nos bairros Santa Terezinha II, em Cuiabá e Jardim Maringá II, em Várzea Grande. 

Durante as buscas foram apreendidos aparelhos celulares e porções de maconha, crack e cocaína para consumo próprio. Após terem a ordem de prisão cumprida, os suspeitos E.D.N.S., e C.A.M., foram encaminhados à delegacia onde serão interrogados pelo delegado. 

O terceiro envolvido no crime, E.S.D., já estava preso por outro crime e teve a ordem de prisão cumprida dentro da unidade prisional na Capital. 

 

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Agente GIR | Terça-Feira, 19 de Novembro de 2019, 14h04
    2
    0

    A partir que você entra pra uma facção Você esta fazendo um contrato com o crime de ser bandido até o último dia de sua vida Sendo assim não vejo motivo pra fazerem uma gstança $ público pra dar alvará pra facçionado. Afinal ele vai voltar pra cadeia até o último dia de sua vida

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS