Política Quinta-Feira, 09 de Maio de 2019, 20h:19 | Atualizado:

Quinta-Feira, 09 de Maio de 2019, 20h:19 | Atualizado:

CORTE NA CARNE

Comissão da AL aprova redução de VI dos deputados para R$ 32,5 mil

 

FLÁVIA BORGES
G1-MT

Compartilhar

WhatsApp Facebook google plus

al-plenario-janainariva.jpg

 

O projeto de lei de autoria do deputado estadual Ulysses Moraes (SD) que propõe a redução da verba indenizatória paga aos parlamentares pela metade obteve parecer favorável da Comissão de Fiscalização e Acompanhamento da Execução Orçamentária (CFAEO) nessa quarta-feira (8).

Agora, o projeto vai ao Plenário para votação dos parlamentares e, em seguida, retorna à Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR). Caso seja considerado constitucional, volta para o Plenário e depois segue para a sanção do governador Mauro mendes (DEM).

Se aprovado, o valor da verba indenizatória paga aos 24 deputados estaduais de Mato Grosso serão reduzidas pela metade, passando dos atuais R$ 65 mil para R$ 32,5 mil por mês.

Além dos parlamentares, serão afetados também outros cargos de alto escalão, incluindo secretários do Poder Legislativo, o consultor técnico-jurídico da Mesa Diretora, o consultor técnico-legislativo, o controlador interno, o procurador-geral, os consultores coordenadores dos núcleos de comissões, os chefes de gabinete e os gestores de gabinete, que terão suas verbas reduzidas em dois terços do valor, de R$ 12 mil para R$ 4 mil.

Verba Indenizatória

Fixada no valor de R$ 15 mil em 2010, a verba indenizatória, destinada a custear os gastos dos deputados exclusivamente vinculados ao exercício da atividade parlamentar, foi objeto de sucessivos aumentos por meio de lei.

Já em 2011, o valor foi para o limite de até R$ 20 mil. Em 2012, subiu para R$ 35 mil e, finalmente, em 2015, sob o pretexto de unificar as verbas recebidas pelos parlamentares estaduais, o valor da verba indenizatória chegou a R$ 65 mil.

Atualmente há cerca de 52 servidores beneficiados com o recebimento da verba indenizatória, de modo que a redução proposta geraria uma economia anual de mais de R$ 4,9 milhões ao erário, e que chegaria a quase R$ 20 milhões durante o período de uma legislatura.





Postar um novo comentário





Comentários (7)

  • Moacir

    Sexta-Feira, 10 de Maio de 2019, 17h14
  • Se pegasse esse valor mensal, já faria um hospital em cada região importante no estado por ano... mas eles só pensam no umbigo deles, Brasil muda urgente
    0
    0



  • Maria do Ros?rio

    Sexta-Feira, 10 de Maio de 2019, 10h46
  • O governo de MT deve fazer o mesmo no executivo. Um auditor ganha em torno de 6 mil reais por mês, sem a necessidade de prestar conta de um vintém sequer. E um detalhe, todo os serviço de auditor é realizado na capital. Diferente do auditor do TCE, o auditor do Estado não tem gastos com viagem.
    0
    0



  • Servidor

    Sexta-Feira, 10 de Maio de 2019, 10h25
  • Pode esperar que eles vão arrumar uma outra verba pra compensar , deputado não aceita redução em suas mordomias...
    0
    0



  • Ggm

    Sexta-Feira, 10 de Maio de 2019, 10h10
  • Cortar pela metade não resolve nada, o certo era não existir esse penduricalho.
    0
    0



  • valda

    Sexta-Feira, 10 de Maio de 2019, 08h00
  • vcs bobo chera chera acreditam que esse projeto será aprovado? sao tomé - acredito vendo.
    0
    0



  • Moacir

    Sexta-Feira, 10 de Maio de 2019, 06h21
  • Se pegasse esse valor mensal, já faria um hospital em cada região importante no estado por ano... mas eles só pensam no umbigo deles, Brasil muda urgente
    0
    0



  • Moises

    Quinta-Feira, 09 de Maio de 2019, 20h56
  • de 15.000,oo em 2010, pra 65.000,oo em 2019 da 340% ... meu salário não subiu isso tudo ...!!!
    5
    0









Copyright © 2018 Folhamax - Mais que Notícias, Fatos - Telefone: (65) 3028-6068 - Todos os direitos reservados.
Logo Trinix Internet