19 de Novembro de 2019,

Política

A | A

Domingo, 20 de Outubro de 2019, 23h:12 | Atualizado:

QUEBRA DE SIGILO

De férias, promotor articulou vazamento de áudios; pena pode chegar a 4 anos de prisão

Denúncia feita pelo MPE será analisada pelo desembargador Orlando Perri


Da Redação

MARCOAURELIO.jpg

 

O promotor de Justiça, e ex-coordenador do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), Marco Aurélio de Castro, pode ser condenado a até 4 anos de prisão após ser denunciado pelo próprio Ministério Público de Mato Grosso (MP-MT) na última terça-feira (16). Ele é acusado de realizar interceptação telefônica sem autorização judicial ou com objetivos “não autorizados em lei”.

A denúncia contra Marco Aurélio de Castro é assinada pelo procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges, e pelo também procurador, e coordenador do Núcleo de Ações de Competências Originárias (NACO), Domingos Sávio de Barros Arruda. De acordo com informações do documento, Marco Aurélio de Castro, que estava de “férias compensatórias” em setembro de 2015, convocou uma reunião entre os promotores de justiça que atuavam no Gaeco na época.

O objetivo era debater eventuais medidas em relação a uma interceptação telefônica do desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT), Marcos Machado, que teria conversado por telefone com o ex-governador Silval Barbosa (sem partido). “Diante disso, ainda que estivesse no gozo de férias compensatórias, o acusado não hesitou em agendar uma reunião para o dia seguinte, pela manhã, nas dependências daquele órgão ministerial para ouvir o referido áudio e deliberar sobre as providências que deveriam ser tomadas”, diz trecho da denúncia que acrescenta que o conteúdo do diálogo acabou chegando as mãos da TV Centro América, afiliada da Rede Globo em Mato Grosso.

A interceptação telefônica ocorreu no âmbito de uma investigação que apurava supostas fraudes da esposa do ex-governador, Roseli Barbosa, à frente da antiga Secretaria de Trabalho e Assistência Social (Setas). Ela chegou a ficar uma semana presa, em agosto de 2015, após a deflagração da operação “Ouro de Tolo”, que apurava o esquema na pasta.

Segundo a denúncia, três diálogos interceptados de um número atribuído a Silval Barbosa, e outro ao desembargador Marcos Machado, foram “grampeados” pelo Gaeco. Ocorre, no entanto, que o promotor de Justiça responsável pela ação penal que investigava a fraude na Setas - Marcos Bulhões dos Santos -, já havia tido acesso tanto aos áudios como ao relatório do caso, o que fez com que a disponibilização de uma cópia do conteúdo do grampo, pedida por Marco Aurélio de Castro, fosse considerada “atípica”.

O Ministério Público também apontou que o conteúdo dos diálogos não possuía qualquer referência às fraudes realizadas na Setas. A denúncia lembra ainda que tanto os grampos, quanto eventuais atos investigatórios, estavam sob sigilo. “Cabe aqui uma pequena, porém, necessária digressão para destacar que esses três diálogos, para além de estarem sob o manto do sigilo, não tinham, rigorosamente, qualquer serventia para com a apuração dos fatos objeto da Ação Penal”, aponta a denúncia.

O desembargador Orlando Perri, relator da Grampolândia Pantaneira no Tribunal de Justiça, analisará se acata ou não a denúncia do MPE.

 

 

Postar um novo comentário

Comentários (10)

  • Analista Político | Segunda-Feira, 21 de Outubro de 2019, 11h22
    4
    1

    Segundo o renomado advogado Mãe Diná, ele é inocente e que o tribunal ao menos aceitará a denúncia.

  • Romeu | Segunda-Feira, 21 de Outubro de 2019, 10h34
    10
    2

    É um vagabundo midiático, que tem que sentir o peso da lei!

  • Felipe Almeida | Segunda-Feira, 21 de Outubro de 2019, 10h09
    7
    0

    Essa eu quero ver?!

  • Zumbi | Segunda-Feira, 21 de Outubro de 2019, 09h20
    10
    1

    A pensar que bancamos os altos salarios e regalias dessa turma e mesmo assim eles nunca estão satisfeitos. Voces acham que ele não cobrou por esses vazamentos ? é claro que sim , não vamos bancar os idiotas aqui. Já passou da hora de um governador ter culhão e discutir a redução dos repasses a esse poder , atolado na lama da corrupção ...não generalizo e nem sou leviano de fazer isso ...mas o que tem de bandidos que não honram esse poder sério e importante chamado Judiciário

  • Edmilson rosa | Segunda-Feira, 21 de Outubro de 2019, 09h11
    6
    2

    Cadeia nele.

  • pantaneiro | Segunda-Feira, 21 de Outubro de 2019, 07h34
    5
    0

    kkkkkk, famoso "boi de piranha"!

  • Hildo | Segunda-Feira, 21 de Outubro de 2019, 07h33
    6
    0

    Se fosse só isso que ele fez de errado. ...

  • Armindo | Segunda-Feira, 21 de Outubro de 2019, 07h32
    10
    1

    Esse pilantra fez o que quis nesse Gaeco. Acabou com várias famílias de bem pra se promover junto com a bandida da Selma. Ele deveria ser preso, ter seu rosto exposto algemado em todos os sites e tv pra passar ao menos metade do que ele fez varias pessoas de bem passar.

  • José | Segunda-Feira, 21 de Outubro de 2019, 07h23
    6
    1

    Se até o STF está podre que importância tem se o MP apodreceu também?

  • Justiça | Segunda-Feira, 21 de Outubro de 2019, 01h47
    6
    0

    Cadeia neles! Vai pro CCC.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS