26 de Maio de 2020,

Política

A | A

Quinta-Feira, 09 de Abril de 2020, 16h:30 | Atualizado:

CONTRATOS EMERGENCIAIS

Deputado cobra maiores salários na Saúde

ludio.jpg

 

O deputado estadual Lúdio Cabral (PT) requereu ao governador de Mato Grosso que altere o edital de contratação temporária da saúde e aumente os valores oferecidos aos profissionais que vão atuar no combate à pandemia da Covid-19 . Lúdio solicitou que as remunerações respeitem o piso previsto pelo conselho de cada categoria. Em ofício ao governador, o deputado observou que, com exceção da remuneração oferecida aos médicos, todos os valores propostos pelo governo estadual estão abaixo do piso salarial.

“É absurda a remuneração proposta para todas as profissões, à exceção dos médicos. Na média, para trabalhar em caráter emergencial contra a pandemia, o trabalhador de nível superior terá remuneração inferior a dois salários mínimos e o profissional de nível técnico terá uma remuneração inferior a um salário mínimo”, afirmou Lúdio.

Os cálculos citados por Lúdio foram baseados em uma carga horária de 24 horas semanais. Mas mesmo que façam mais plantões, os valores a serem recebidos pelos profissionais ainda serão muito baixos. “A não ser que eles se submetam a uma carga de trabalho excessiva, que vá além daquilo que a legislação dessas categorias prevê”, disse.

O parlamentar destacou a importância de o Estado realizar a contratação emergencial no setor de saúde para combater a Covid-19. “O trabalhador da saúde no serviço público é essencial para enfrentar a pandemia e está submetido a um risco severo de exposição ao coronavírus. E o Estado lança um edital com esses valores... É necessária a contratação emergencial nesse momento, mas a remuneração que o Estado está oferecendo é desrespeitosa”, afirmou Lúdio.

Os valores oferecidos no edital do governo estadual para cada plantão de 12 horas são R$ 300 para enfermeiros, R$ 257 para psicólogos, R$ 265 para fisioterapeutas, R$ 240 para assistente social, R$ 162 para técnicos de enfermagem, R$ 137 para técnicos de laboratório e R$ 112 para maqueiros. Para os médicos, o valor oferecido é de R$ 1,5 mil por plantão, a única remuneração justa no edital, segundo Lúdio.

O deputado sugeriu ao governador que siga o piso remuneratório proposto pelo conselho de cada categoria, de modo a reconhecer e valorizar o trabalho desses profissionais. O Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso (Coren-MT) chegou a publicar uma nota de repúdio ao edital.

“O Edital em questão parece nos mostrar que o poder público pouco valoriza os profissionais de enfermagem na linha de frente, ou não tem qualquer consciência do seu valor. Fica aqui o nosso repúdio e protesto contra os valores oferecidos aos trabalhadores de enfermagem no  Edital de Abertura de Processo de Seleção Simplificada N° 001/SES/2020,  produto da concepção do Estado de Mato Grosso sobre o trabalho e ao trabalhador de enfermagem, ao tempo em que esperamos que tal proposição seja revista, sob pena do fracasso no processo de recrutamento e seleção, motivado pelas atuais circunstâncias e condições de trabalho oferecidas”, diz trecho da nota emitida pelo Coren. Veja a nota na íntegra: http://mt.corens.portalcofen.gov.br/nota-de-repudio-do-coren-mt-ao-edital-de-abertura-de-processo-de-selecao-simplificada-n-001-ses-2020_12850.html 

 

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Luiz | Quinta-Feira, 09 de Abril de 2020, 20h22
    1
    0

    Deputado parabéns pela iniciativa,mas a questão não tá só no piso salários, mas também o prazo dos contratos que é pequeno, pelo menos 12 meses de duração, além de um seguro, para esses profissionais que estão colocando suas vida em riscos e saúde, pois esses tipos de contrato temporário ou regime de plantão não dá nenhuma garantia que o caso requer.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS