Política Quarta-Feira, 10 de Abril de 2019, 18h:09 | Atualizado:

Quarta-Feira, 10 de Abril de 2019, 18h:09 | Atualizado:

MÁFIA DA BOMBA

Estado flagra desvio de combustíveis; carro abasteceu 1,4 mil litros em 3 dias

Investigação da CGE vai abranger todas as secretarias do Estado

Da Redação

Compartilhar

WhatsApp Facebook google plus

carros-oficiais.jpg

 

A identificação de fraude no abastecimento de veículos oficiais em um determinado órgão estadual levou a Controladoria Geral do Estado (CGE-MT) a fazer varredura no consumo de combustíveis em todos as secretarias do Governo de Mato Grosso. Após denúncia do próprio órgão de que estaria havendo um comportamento atípico no consumo de veículos em uma unidade no interior do Estado, a CGE analisou os 212 abastecimentos realizados no período de agosto de 2018 a janeiro de 2019.

Por meio do uso de inteligência do controle interno no sistema eletrônico de gerenciamento de abastecimentos, a Controladoria encontrou casos de consumo elevado de combustível com variação negativa de quilometragem rodada e desempenhos de consumo iguais entre inúmeros abastecimentos. Uma das situações identificadas foi que um mesmo veículo foi abastecido 61 vezes, sempre com 80 litros, capacidade máxima do tanque, no período analisado.

Dos 61 abastecimentos, 48 tiveram um desempenho de consumo na taxa de cinco quilômetros por litro, cuja quilometragem rodada permaneceu sempre em 400 quilômetros. Destaque para o consumo de combustíveis registrado entre os dias 14 e 17 de dezembro de 2018, período no qual foram feitos 18 reabastecimentos, sempre pelo mesmo condutor, nos padrões mencionados, os quais totalizariam 7.200 quilômetros percorridos em três dias.

Outro caso foi a realização de 16 abastecimentos de um mesmo veículo, sempre de 80 litros, capacidade total do tanque, entre os dias 03 e 29 de setembro de 2018, período no qual, por sua vez, a quilometragem permaneceu fixa em exatos 400 quilômetros. Todos os abastecimentos teriam sido feitos no município de localização da unidade regional.

Com os abastecimentos, seria possível percorrer 6.400 quilômetros em 26 dias ou 5 quilômetros por litro. Também foi encontrada situação em que um mesmo veículo foi abastecido sete vezes com 80 litros de combustível (capacidade máxima do tanque) num intervalo de 12 horas e 41 minutos no dia 08 de dezembro de 2018, o que equivale a uma variação de 400 quilômetros rodados entre cada reabastecimento. “Dessa forma, em média, a cada duas horas o veículo teria consumido o total da capacidade de combustível, rodando 400 KM e completando o tanque novamente. Dessa forma, é possível concluir que o veículo teria percorrido uma distância de 2.800KM em 12h41, o que daria uma velocidade média em torno de 200 KM/H dentro do município, uma vez que todos os reabastecimentos ocorreram no mesmo posto de combustível”, traz o relatório da CGE produzido no mês passado.

Em outro caso, um mesmo veículo teria obtido desempenho de consumo negativo de 1,66 quilômetros por litro, no dia 06 de agosto de 2018, entre 18h08 e 19h56, porém, o consumo de combustíveis teria sido de 80 litros, capacidade máxima do tanque. Por conta dessas inconsistências, a CGE desenvolveu trilha eletrônica de auditoria a ser rodada periodicamente para identificar situações semelhantes e propor às secretarias medidas de melhoria dos controles e responsabilização de servidores e fornecedores eventualmente envolvidos em irregularidades.

Para os casos pontuais já identificados, a CGE recomendou ao órgão em questão a abertura de processo administrativo disciplinar para apurar a conduta dos motoristas dos veículos. Outra recomendação foi a melhoria nos controles de pagamento à empresa contratada para gerenciar os abastecimentos dos veículos oficiais.

Neste caso, a CGE reiterou os direcionamentos da Orientação Técnica nº 10/2018, principalmente em relação à necessidade de que os documentos emitidos pela rede credenciada (no caso, os postos de combustíveis) “sejam confrontados com as informações constantes no sistema da empresa gerenciadora ou com relatórios consolidados expedidos à contratante”. O pagamento somente deve ser efetivado se os dados forem equivalentes.





Postar um novo comentário





Comentários (15)

  • Galdencio

    Quinta-Feira, 11 de Abril de 2019, 10h04
  • Esse orgão só serve para perseguir "pequenos" produtor com o "grande a conversa é diferente.
    0
    0



  • + Marcelo F

    Quinta-Feira, 11 de Abril de 2019, 09h14
  • Se o Silval Barbosa tivesse sido mais esperto (sei que inteligência não é o forte desta ameba), ele teria usado o mesmo golpe e em cada um dos seus quase 1500 dias de governo teria que ter abastecido no carro oficial só uns 150 mil litros de gasolina (aditivada para não ter risco de estragar o motor).
    2
    0



  • +Marcelo F

    Quinta-Feira, 11 de Abril de 2019, 09h09
  • Olha se tivessem feito 18 alinhamentos e balanceamentos, trocado 50 filtros de combustível e 80 velas no período neste veículo, certamente não teriam gasto nem 1.000 litros de combustível. Alguns "imbecis" do qual faço parte, trabalham e são roubados oficialmente, outros "espertinhos" são beneficiados pelo produto deste roubo oficial. E assim MT e o Brasil seguem firme rumo ao precipício.
    2
    0



  • Servidor

    Quinta-Feira, 11 de Abril de 2019, 08h58
  • No Coophema, carro da SES todos os dias na academia em frente à praça, as vezes nos barzinhos...
    2
    0



  • tequila pantaneira

    Quinta-Feira, 11 de Abril de 2019, 07h05
  • Foi no INDEA? O INDEA está mesmo em um período negro. Mais uma!!!
    2
    0



  • Eleitor sabido

    Quinta-Feira, 11 de Abril de 2019, 02h31
  • isso acontece há anos, desde D. Aquino ...!!!
    3
    0



  • Teresa

    Quarta-Feira, 10 de Abril de 2019, 23h39
  • Esse carro é do Indea.
    7
    0



  • verdadeiro

    Quarta-Feira, 10 de Abril de 2019, 21h51
  • isso que da o governador poder nomear quem quiser, o famoso cargo de confiança foi feito pra isso!
    18
    2



  • ana

    Quarta-Feira, 10 de Abril de 2019, 20h09
  • sem contar que os carros no final do expediente vão pra casa com os funcionarios... as vezes pra faculdade a noite ... no outro dia deixam os filhos no colegio , a esposa no trabalho e voltam pro orgão publuco onde "trabalham" TUDO COM O NOSSO DINHEIRO
    32
    3



  • cidad?o

    Quarta-Feira, 10 de Abril de 2019, 19h29
  • O uso desses carros oficiais é uma farra mesmo, o sujeito acha que é propriedade dele, pega carrão na locadora que aluga para o Estado, passeia, viaja, usando o combustível pago pelo Estado. Tem que fazer uma varredura mesmo em todas as secretarias, autarquias.......
    25
    0



  • Citizenship

    Quarta-Feira, 10 de Abril de 2019, 19h27
  • É a tranqueira das empresas de fornecimento de combustível mediante contrato. Grandes transportadoras contratam cartão de combustível no nome do funcionário. Ele abastece em qualquer posto que aceite cartão visa ou master. Não há postos credenciados. Todos os postos podem abastecer. O posto não diferencia o cartão, que emite comprovante no nome do motorista. Não tem como fugir. Se o motorista emprestar o cartão, é o nome dele. Se comprar excesso, é o nome dele. Controle mensal no cartão de crédito, pelo CPF do motorista. Mas, em Mato Grosso, preferem fazer credenciamento de postos de gasolina e controlar por veiculo, ao invés do motorista. Quem escolhe métodos mais fáceis para corrupção, terá que conviver com a corrupção.
    23
    0



  • Zeca do Osmar cabral

    Quarta-Feira, 10 de Abril de 2019, 19h22
  • CADEIA, ISSO É ROUBO E.
    21
    0



  • Rafaela

    Quarta-Feira, 10 de Abril de 2019, 19h01
  • Mas qual órgão?!! Da a notícia direito pô!!
    27
    0



  • Muito vago

    Quarta-Feira, 10 de Abril de 2019, 19h00
  • Ué mas cadê o nome das instituições que usaram desses veículos? Precisamos saber de onde são esses servidores.
    31
    0



  • Junior

    Quarta-Feira, 10 de Abril de 2019, 18h43
  • Vish! A casa não caiu, desmoronou!!!
    21
    0









Copyright © 2018 Folhamax - Mais que Notícias, Fatos - Telefone: (65) 3028-6068 - Todos os direitos reservados.
Logo Trinix Internet