Política Quarta-Feira, 01 de Julho de 2015, 10h:30 | Atualizado:

Quarta-Feira, 01 de Julho de 2015, 10h:30 | Atualizado:

OPERAÇÃO VENTRÍLOQUO

Invadida, AL garante colaborar com Gaeco sem ter "excessos"

Presidente da AL diz honrar compromissos com MPE

RAFAEL COSTA
Da Redação

Compartilhar

WhatsApp Facebook google plus

Assessoria

maluf-microfones.jpg

 

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB), declarou em discurso durante a sessão ordinária que o Legislativo de hoje pela manhã vai contribuir com as investigações da Operação Ventríloquo deflagrada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) na manhã desta quarta-feira (1º). “Primeiro dizer que nós estamos sempre colaborando com o Ministério Público. Não deixamos de colaborar em nenhum momento. Defendemos a necessidade de transparência e investigação com critérios dentro da legalidade”, disse.

A sede do Legislativo foi alvo de cumprimentos de mandados de busca e apreensão e houve ainda prisão preventiva do ex-secretário geral Luis Márcio Pommot. As investigações indicam a suspeita de uma organização criminosa montada no Legislativo para desviar dinheiro público por meio de fraude em licitações e pagamentos para empresas fantasmas. 

Maluf lembrou que a atual Mesa Diretora tem cumprido à risca Termos de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado com o Ministério Público. Ao mesmo tempo, informou que não aceitará abusos nas investigações. “Há necessidade de entender que repudiamos exageros e ações fora da legalidade. Esse é um poder constituído com suas prerrogativas legais. Enquanto estiver a frente do Legislativo, espero que tudo seja pautado pela legalidade”, disse. 

Aproximadamente 15 pessoas estão sendo conduzidas coercitivamente ao Gaeco para esclarecimentos. Um deles é o suplente de senador Blairo Maggi (PR), o empresário José Aparecido dos Santos (PR).

A Polícia Civil também participou das investigações e está dando apoio no cumprimento dos mandados judiciais. O principal preso na operação de hoje é o ex-deputado estadual José Geraldo (PSD), que retorna ao centro de custódia de Cuiabá após ser solto há seis dias.

Aliás, a esposa de José Riva, Janete Riva, já esteve no local. Ela levou roupas para o ex-parlamentar.

NOTA

A Assembleia também se posicionou por meio de nota a respeito do cumprimento de mandados. Veja a íntegra:

O Presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, deputado Guilherme Maluf, reafirmou hoje (01.07) que a instituição está à disposição das autoridades para qualquer procedimento investigativo. Membros da Procuradoria Geral da Casa acompanharam esta manhã o cumprimento do mandado de busca e apreensão expedido pela juíza Selma Rosane Santos Arruda.

A instituição não foi informada sobre o teor da investigação, mantida em segredo de justiça. Mas assegurou o acesso a todos os documentos solicitados pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) referentes à secretaria de Controle Interno deste Parlamento.

A nova Mesa Diretora do Poder Legislativo estadual vem implantando desde fevereiro uma ampla reforma administrativa que contempla os objetivos de reduzir gastos e reforçar os mecanismos de controle interno, além de assegurar absoluta transparência a todos os atos desta instituição.  

VEJA MAIS

Gaeco conduz 15 para depor sobre novo esquema na Assembleia

Operação volta a prender Riva e invade sede da Assembleia de MT

Suplente de Maggi é conduzido para depor no Gaeco de MT

 

 

 





Postar um novo comentário





Comentários (1)

  • Carlos Reis

    Quarta-Feira, 01 de Julho de 2015, 11h09
  • MP e Gaeco o esquema continuava comandado pela senhora deputada e pelos sucessores do Riva. Cheguem neles
    0
    2









Copyright © 2018 Folhamax - Mais que Notícias, Fatos - Telefone: (65) 3028-6068 - Todos os direitos reservados.
Logo Trinix Internet