09 de Julho de 2020,

Política

A | A

Segunda-Feira, 01 de Junho de 2020, 17h:49 | Atualizado:

DISCUSSÃO SEM FIM

Mauro cobra leitos de Emanuel e o que fez com R$ 42 milhões


Gazeta Digital

WILSONSANTOS-MAUROMENDES.jpg

 

O governador Mauro Mendes (DEM) cobrou do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) a entrega de novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Cuiabá. Mauro avalia que os últimos ataques do prefeito em suas transmissões em redes sociais, nas quais usou termos como "leviano", calculista" e "insensível" ao se referir ao governador, são na verdade uma estratégia de Emanuel para fugir da discussão central. "Cadê os leitos de UTI? O que fez com os R$ 42 milhões? Como ele não consegue responder isso, começa a criar esse jogo de palavras. Eu estou cobrando, sim, do prefeito Emanuel Pinheiro, cadê os leitos de UTI na cidade de Cuiabá? Qual leito novo ele abriu na cidade nesses últimos 90 dias?", questionou Mauro em coletiva de imprensa concedida na tarde desta segunda-feira (1), no anúncio da retomada das obras da construção da Escola Técnica Estadual (ETE) de Cuiabá.

Mauro afirma que o Estado sempre esteve aberto ao diálogo com a Prefeitura de Cuiabá. Questionado se a conversa permanecerá judicializada, ele cita que o secretário estadual de Saúde Gilberto Figueiredo já chegou a ir à secretaria municipal de Saúde da Capital para estabelecer um diálogo. "Agora, o que é lamentável é que um hora eles falam uma coisa, outra hora falam outra. Coloca um número aqui, outro documento ali. O prefeito fala uma coisa, secretário fala outra. Eu não quero discutir conversa fiada. Eu quero saber o que é o seguinte: o que a prefeitura fez com os R$ 42 milhões e qual leito novo de UTI que ele criou em Cuiabá?", indaga.

Na sequência, o governador cita que em março deste ano o Estado tinha 40 leitos de UTI. Hoje já conta 50 novos leitos da Santa Casa, 30 novas no Hospital Metropolitano, além de outros 30 que ainda serão abertos. "O Estado de Mato Grosso, em Cuiabá e Várzea Grande, em pouco mais de 90 dias, vai abrir 110 leitos novos, além daqueles que já existiam, 10 no Metropolitano e 30 na Santa Casa. Então 40 mais 110, serão 150 leitos, dos quais 120 exclusivos para covid-19. É este o número que a gente quer que a Prefeitura de Cuiabá chegue a público e diga", cobra. Mauro Mendes diz que fica extremamente irritado ao ver "muita conversa e pouco resultado".

O governador admite que nunca foi muito favorável às medidas de isolamento social, principalmente porque na visão do democrata, a medida foi adotada de forma precoce em algumas regiões. "Eu queria que o prefeito me explicasse qual a lógica, quando tinha um caso só, só um, ele mandou fechar tudo. Agora tem mais de 700, ele manda abrir tudo. Tem uma incoerência aí de comportamento, de análise ou de raciocínio", avalia.

Neste sentido, Mauro ressalta que enquanto Estado está cumprindo o que determina a Organização Mundial de Saúde (OMS) que é não deixar faltar leitos de UTI. "Por isso é muito importante que a prefeitura de Cuiabá, que recebe dinheiro do Ministério, que sempre teve o papel mais importante na Saúde pública de Mato Grosso, e que agora simplesmente desaparece no cenário e fica num jogo de palavras para lá e Pará cá dizendo que é política. Pelo amor de Deus, gente, não é política não, é número. Cadê os leitos novos que a prefeitura deveria ter aberto em Cuiabá?", insiste.

Outro lado

Por meio de assessoria, a Prefeitura de Cuiabá informa que disponibilizará um total de 105 leitos de UTIs exclusivamente para pacientes infectados pelo novo coronavirus distribuídos no Hospital de Referência à covid-19 (sendo 40 vagas de UTI adulto e 10 pediátricas) já em pleno funcionamento e mais 40 leitos de UTI específicos para covid-19 no Hospital Municipal São Benedito.

"Outros 10 leitos de UTI serão também disponibilizados no Hospital de Referência em prazo célere", diz trecho da nota. Até este domingo (31), a prefeitura diz que 21 leitos de UTI estavam ocupados no Hospital de Referência. Já no São Benedito, na mesma data, não havia pacientes internados pela doença. Todas as UTIs estão devidamente equipadas. 

Quanto à destinação de recursos enviados ao município, esclarecemos que pode ser acompanhada por meio do Portal Transparência, que conta com item específico sobre o enfrentamento à pandemia. O prefeito Emanuel Pinheiro lamenta que mais uma vez o enfoque seja um cenário de disputa eleitoral em detrimento do real enfrentamento à disseminação do vírus.

Considera um ultraje que a tônica de um momento tão delicado seja o reiterado ataque de cunho pessoal e joguetes de palavras no único e, descabido, intento de deixar à população alarmada", segue a nota.

A prefeitura esclarece que a gestão vem cumprimento seu papel de atendimento de qualidade à população. "Prova disso trata-se de levantamento do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC), Dr. Leony Palma de Carvalho. A unidade, que já era referência em atendimentos de média e alta complexidade para os 141 municípios de Mato Grosso, se tornou a principal ‘fonte desafogadora’ do Sistema Único de Saúde (SUS) mato-grossense no atendimento a outras doenças", comunica.

Nos meses de março, abril e maio o HMC atendeu 6.330 pessoas na urgência e emergência e fechou com 100% da capacidade de lotação das Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e ainda 2.098 cirurgias de média e grande complexidade. "Os dados dão conta de que, no contexto geral, os atendimentos a pacientes de pessoas residentes de outros municípios do Estado chegam a 60%. Por fim, a gestão reafirma que segue empenhada no trabalho, prestando contas aos munícipes e órgãos de controle", conclui o esclarecimento.

As obras estavam paralisadas por falta do repasse de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Para dar continuidade à construção, que está 90% concluída, o governo do Estado destinou recursos da ordem de R$ 2,25 milhões. Até o momento, foram investidos R$ 10.981.256,96. O novo prédio contará tem 12 salas de aula, 11 laboratórios, um laboratório especial, um auditório com capacidade para 150 pessoas, quadra poliesportiva, biblioteca, centro de vivências (refeitório e jardim) e salas para o administrativo pedagógico. Ao todo, a nova escola técnica contará com uma área de 5.577 metros quadrados.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS