24 de Fevereiro de 2020,

Política

A | A

Quarta-Feira, 22 de Janeiro de 2020, 08h:27 | Atualizado:

EMBATE INTERNO

Pivetta tem adversário dentro do PDT na disputa ao Senado

Presidente da Aprosoja, Antonio Galvan quer concorrer a vaga de Selma Arruda


Da Redação

antoniogalvan.jpg

 

O presidente da Aprosoja (Associação dos Produtores de Soja e Milho), Antônio Galvan, disse nesta terça-feira (21) que o nome do candidato do PDT para disputar a eleição suplementar ao Senado deve sair de um consenso dentro do partido. Autodeclarado pré-candidato, ele disse que já conversou com o vice-governador Otaviano Pivetta, também do PDT, e que decidiu que também será candidato à vaga da senadora cassada Selma Arruda (Podemos).

“Com certeza o partido vai definir com bom senso. A gente já sentou, já discutiu. Nós já conversamos sobre esse assunto, com o próprio presidente do partido, Allan Kardec, e a gente deve chegar, sim, num consenso”, disse Galvan, em entrevista ao Jornal do Meio Dia, na TV Vila Real.

“O que podemos dizer que é muito recente essa decisão e vamos dizer, assim, uma disputa interna, eu e o vice-governador. Mas nossa conversa foi muito amigável, muito boa, porque a gente se conhece há tantos anos”, acrescentou Galvan, que é filiado ao PDT desde 2010.

Ligado ao agronegócio, Galvan é produtor rural em Sinop e defende que o setor tenha um representante mato-grossense no Senado. Ele disse que seria importante receber o apoio de um dos expoentes da agricultura, o ex-ministro e ex-governador Blairo Maggi (PP). “É sempre bem-vindo o apoio. Passei uma mensagem para ele, para a gente sentar e conversar, mas pessoalmente não falamos diretamente sobre essa questão eleitoral”, explicou.

Além de Galvan e Pivetta, dentre os nomes ligados ao setor que aparecem como candidatos à eleição suplementar, estão o do terceiro colocado nas eleições em 2018, Carlos Fávaro (PSD), o de Adilton Sachetti (PRB), que ficou em quarto lugar; e ainda o tucano Nilson Leitão, ligado ao setor (presidiu na Câmara Federal a Frente Parlamentar da Agropecuária-FPA), cujo nome está sendo discutido internamente dentro do PSDB.

Durante a entrevista, Antônio Galvan defendeu investimentos no setor da infraestrutura em Mato Grosso, que favorecem não só aos produtores, mas também á população. “A estrada não é só para o produtor rural , a rodovia é para todo o mundo”, afirmou Galvan, que aproveitou para criticar a tributação em Mato Grosso e o desvio de finalidade na aplicação de recursos arrecadados pelo Fethab.

“Eu acredito que o aumento da tributação tenha que vir pela produção e não por aumento de alíquota ou a criação de novas alíquotas. A sociedade não aguenta mais pagar impostos, aí você aumenta mais”, reclamou, citando a reedição do Fethab 2 e ainda a criação de um Fethab incidindo sobre o milho. “O descontentamento maior do produtor é o desvio de finalidade destes recursos, onde estão sendo investidos, pela premente necessidade que o Estado tem de aplicar em infraestrutura, nas nossas rodovias”, explicou.

Apesar de o Estado registrar um crescimento com taxas da China, Galvan enfatizou que não vê a aplicação dos valores necessários para a infraestrutura do Estado. Mesmo com as medidas adotadas pelo governo, que de certa forma desagradam o setor, Galvan elogiou a gestão do governador Mauro Mendes.

“Eu acredito sim, torço para que nosso governador Mauro Mendes tenha sucesso. Já mostrou, com certeza, um resultado positivo. Era o que eu esperava no final do ano, as contas dele, o mesmo que foi aí publicado, mas agora ele tem que olhar primeiro para necessidade que a infraestrutura precisa, porque ela leva tudo, leva carga, leva produção e leva principalmente às pessoas”.

Finalizando, o presidente da Aprosoja disse que ao colocar sua pré-candidatura ao Senado, quer deixar claro que seu trabalho não se resumirá a defender a agropecuária. “Com certeza tem muitas necessidades ai, dentro do perímetro urbano, que a gente precisa olhar. Como a saúde, que ninguém vai conseguir resolver o problema da saúde, mas tem que melhorar com certeza este atendimento e tem como fazer”, disse Antônio Galvan.

 

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Sacripanta | Quarta-Feira, 22 de Janeiro de 2020, 16h08
    1
    0

    Antonio Galvan e Otaviano Pivetta os senhores para a grande maioria da população matogrossense sao desconhecidos o nome Mauro Mendes marca vossas testas como a marca de Caim e ainda tem Bolsonaro pelo meio que está tropeçando tanto . Entre Pivetta e Campos ou algum outro da velha política melhor votar nulo.

  • Joao costa | Quarta-Feira, 22 de Janeiro de 2020, 15h05
    0
    0

    Voces serao enterrados junto com essa peste de bolsonauro

  • Servidor público | Quarta-Feira, 22 de Janeiro de 2020, 12h40
    1
    0

    Acorde Galvan, ninguém te conhece, o agro tá rachado, você não tem voto sequer da aprosoja, e o novo senador será aquele que discursar com o povo e com Bolsonaro. Acorda que a surra nas urnas vai ser grande e vc ficará no ostracismo total

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS