10 de Dezembro de 2019,

Política

A | A

Terça-Feira, 19 de Novembro de 2019, 11h:42 | Atualizado:

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Policiais e agentes prisionais exigem regras diferenciadas para se aposentarem em MT

Deputados e categorias reivindicarão tratamento diferente junto ao governador Mauro Mendes

deputados-policiais.jpg

 

Presidentes de sindicatos dos Delegados, Investigadores, Escrivães, Agentes Penitenciários e do Sistema Socioeducativo estiveram reunidos com os deputados estaduais, Delegado Claudinei (PSL) e Elizeu Nascimento (DC). O encontro aconteceu na tarde desta segunda-feira (18), na sede da Associação Mato-grossense de Delegados de Polícia de Mato Grosso. 

Na pauta, a preocupação com a possibilidade do governador Mauro Mendes (DEM) encaminhar uma proposta de Reforma da Previdência estadual, fazendo adesão à PEC federal 6/2019, que modifica o sistema de previdência social, estabelece regras de transição e disposições transitórias. 

“Na verdade, hoje os policiais têm aposentadoria especial e, na reforma da previdência, nós não visualizamos como que será o tratamento atribuído à polícia. E, por conta disso, estamos preocupados e precisamos conversar com o Governo para saber qual tratamento que ele dará aos policiais do estado de Mato Grosso”, destaca a presidente do Sindicato de Delegados de Polícia de Mato Grosso (Sindepo-MT), Maria Alice Amorim. 

Para o deputado Delegado Claudinei, a categoria policial é diferenciada e merece tratamento à altura da natureza da profissão. “Estive como delegado de polícia e sei como a nossa rotina, essa do profissional de Segurança Pública, é estressante. Perdemos muitas noites de sono, sofremos pressão todos os dias, ficamos ausentes da nossa família, é muito estresse. O tempo que trabalhamos, estamos na mira de facções criminosas. Então, é categoria diferenciada”, ressalta o Delegado Claudinei. 

Sargento aposentado da Polícia Militar, o deputado estadual Elizeu Nascimento, disse que o caminho é a mobilização das categorias. “Temos que nos posicionar, existe ainda a possibilidade de aumentar a alíquota previdenciária. Estamos juntos em defesa do servidor público”, finaliza. 

Também participaram da reunião, o advogado Carlos Frederick, representando o deputado estadual João Batista (PROS); a presidente e o vice-presidente do Sindicato de Investigadores de Polícia de Mato Grosso (Sinpol-MT), respectivamente, Edleuza Mesquita e Gláucio Castañon; presidente do Sindicato dos Escrivães da Polícia Judiciária de Mato Grosso (Sindepojuc-MT), Davi Nogueira; a presidente do Sindicato do Sistema Penitenciário de Mato Grosso (Sindspen-MT), Jacira Maria da Costa; o presidente do Sindicato da Carreira dos Profissionais do Sistema Socioeducativo do Estado de Mato Grosso (Sindpss), Paulo César, e demais profissionais das classes representadas.

Postar um novo comentário

Comentários (10)

  • HRomeu | Quarta-Feira, 20 de Novembro de 2019, 10h36
    0
    0

    Votaram no bozo agora querem aposentadoria especial? Se ferraram

  • MT mais transparente | Quarta-Feira, 20 de Novembro de 2019, 07h37
    0
    0

    Senhor governador Já está na hora de mudança principalmente nas aposentadorias especiais pois hoje são novos tempos. Uma regra básica seria estipula uma idade mínima de 58 anos e 35 anos de efetivo serviço policial. Criar programa de aposentaria proporcional à todas as carreiras públicas. Outro item governador e decretar o fim da escala de 24 horas de trabalho por 72 horas de folga. Revisar as leis de carreiras que migraram para nível superior sem ter critério para função, pois será que tem ter nível superior para tais carreiras

  • Augusto | Terça-Feira, 19 de Novembro de 2019, 21h48
    0
    0

    Renúncias em torno de 3 bi...4bi... isenções em 6bi anuais.... e o Estado vai ter $ desse jeito. Sobra pro servidor.

  • joao | Terça-Feira, 19 de Novembro de 2019, 21h15
    0
    0

    Nem trabalham direito e querem aposentadoria especial? E estão exigindo??? Com que poder? com que força?? A PC daqui já ganha bem demais... se não me engano uns dos melhores salários do país. Recebem diária e folga pra trabalhar em operações, trabalham em regime de plantão e ainda querem mais o que??? Vão trabalhar!!! Se prestassem um serviço de excelência, isso seria JUSTO. Mas não é o caso.

  • Walter | Terça-Feira, 19 de Novembro de 2019, 16h18
    6
    7

    Que texto mal elaborado !!!.... Exigem ? Com que força ? Exigem de quem ?.... Esquisitice isso...

  • Antonio | Terça-Feira, 19 de Novembro de 2019, 13h57
    22
    1

    Na verdade PM e BM já foram assegurados lá em Brasília...agora o pepino ficou com o governo estadual para resolver a aposentadoria da PC e Agepen....creio que a tendência é piorar para os civis.

  • Dona Salete do Quilombo. | Terça-Feira, 19 de Novembro de 2019, 12h28
    23
    9

    realmente, concordo! como pode um policial beirando 70 anos de idade correndo atras de vagabundo ? inadmissível isso.... como contribuinte eu exijo policiais preparados nas ruas e não idosos armados. Sou de acordo com essa iniciativa, mas que isso valha apenas para os policiais senão vira zona ok

  • Pacufrito | Terça-Feira, 19 de Novembro de 2019, 12h15
    8
    23

    Todo mundo é especial, todos querem todos os beneficio, querem se aposentar com regalias, só quem não e especial e não tem nenhuma regalia é quem paga a conta.....

  • Antônio | Terça-Feira, 19 de Novembro de 2019, 12h05
    24
    22

    Na verdade quem trabalha é a PM os demais vão na onda....

  • Conseg conselho de segurança | Terça-Feira, 19 de Novembro de 2019, 11h51
    10
    25

    O Pessoal ganha um mega salário e começou a ladainha

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS