13 de Agosto de 2020,

Artigos

Política

A | A

Quarta-Feira, 01 de Outubro de 2014, 12h:25 | Atualizado:

Taques reforça que fará gestão transparente em MT

A participação do candidato ao governo Pedro Taques (PDT-MT) no debate eleitoral organizado pela TV Centro América, nesta segunda-feira (30.09), foi marcada por críticas à atual gestão do Executivo Estadual, representada pela candidatura do ex-vereador Lúdio Cabral (PT). O líder da oposição questionou os índices negativos da saúde, educação, segurança pública, logística de transportes, sobre os atrasos nas obras da Copa e apresentou os compromissos firmados em seu plano de governo para mudar esta realidade.

Pedro Taques teve mais uma oportunidade de mostrar que conhece os gargalos do Estado, bem como as alternativas para o enfrentamento. Líder em todas as pesquisas de intenção de voto, o pedetista aproveitou para pedir à sua militância empenho nesta reta final da campanha.

“Todas as pesquisas revelam que estamos em primeiro lugar. Mas, quero pedir à militância o comprometimento até o dia das eleições. Quero agradecer à nossa militância, aos companheiros. Nesta campanha, nós não entramos em baixarias, só fizemos compromissos que podem ser realizados. Você que ainda está indeciso, venha conosco para esta transformação”, declarou.

O primeiro assunto abordado no debate diz respeito às rodovias de Mato Grosso. Na avaliação de Pedro Taques, o governo do estado precisa pensar no desenvolvimento dos outros modais de transporte, concluir e ampliar o programa MT Integrado, aplicar corretamente os recursos do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) e, acima de tudo, combater a corrupção.

“Quando se fala em logística, algumas pessoas entendem que é só rodovia. Logística é muito mais que isso, significa fazer com que nossos modais de transporte possam competir: rodoviário, hidroviário e ferroviário. Temos hoje mais de 4.000 km de rodovias estaduais pavimentadas. A atual administração, em 2010, prometeu pavimentar 2.600 km, mas não foram feitos. O único trecho terminado até agora foram 22 km do entroncamento da MT-412 que liga Canabrava do Norte à BR-158. Precisamos ampliar o MT Integrado e aplicar os recursos do Fethab nas estradas”, afirmou.

Sistema Tributário - A complexidade do sistema tributário estadual foi o segundo tema debatido pelo candidato da coligação “Coragem e Atitude Pra Mudar”. Pedro Taques é um dos maiores críticos do excesso de portarias e atos normativos editados pela Secretaria de Fazenda que acabam penalizando os pequenos empresários, industriais e contribuintes com a insegurança jurídica.

“Nós resolveremos o sistema tributário de Mato Grosso promovendo um choque de gestão na Sefaz. Criaremos um ambiente ‘negocial’ para que mais empresas possam ser constituídas. Em cinco anos, a Secretaria de Fazenda constituiu mais de quatro mil atos normativos, isso é um absurdo. Nós acabaremos com a insegurança jurídica”, assegurou.

Regularização fundiária - Os conflitos fundiários históricos enfrentados na área rural e urbana entrarão na linha de enfrentamento do próximo governo, conforme assegurou Pedro Taques. “Precisamos fortalecer o Intermat, fazendo com que a regularização fundiária esteja na cidade e também nos 716 assentamentos. Precisamos dar a regularização fundiária, fomentar créditos, apoio e extensão para que as famílias possam produzir mais, vender o excesso e possamos dar a elas mais dignidade”, explicou o candidato, observando que a Secretaria das Cidades terá um papel importante na política fundiária.

Segurança Pública – Ao abordar os números da segurança pública, Pedro Taques citou o efetivo de 6.500 policiais militares que precisa ser dobrado. O incremento em pessoal, segundo ele, deve ocorrer também na Polícia Civil, que precisa de mais 125 delegados, 620 escrivães de polícia e mais investigadores. Além disso, ele citou que o Estado precisa de três mil bombeiros, sendo que hoje possui pouco mais de 900. Para solucionar este déficit, o pedetista planeja convocar concursados do cadastro de reserva e promover novos concursos nos próximos anos. 

Pedro Taques também abordou a necessidade de investimentos no sistema sócio-educativo e ações para evitar a prática dos crimes.

Educação – Mato Grosso tem hoje 260 mil analfabetos acima de 15 anos; a segunda pior escola pública do Brasil; 60% dos professores são contratados sem estabilidade. Diante dessa situação, Pedro Taques propõe escolas atrativas, saúde preventiva nas unidades de ensino, concurso públicos para efetivar os professores e valorização dos profissionais.

Obras da Copa – Ao ser questionado sobre as obras da Copa, Pedro Taques reafirmou que irá concluir as obras do VLT, ressaltando que “aqueles que roubaram o dinheiro público serão responsabilizados”.

Durante toda a sua participação no debate da TVCA, o candidato Pedro Taques enfatizou que sua candidatura representa o grupo de oposição ao atual governo. “Nós representamos a oposição, não concordamos com a atual administração. Queremos um estado novo, mais transparente, mais justo, em que nenhum mato-grossense ficará para trás. Se for pela vontade de Deus e do nosso povo, eu serei o próximo governador de Mato Grosso. Estou na política para que tenhamos um estado mais justo, para que possamos tratar a nossa gente com dignidade”, finalizou Pedro Taques.

 



Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS