21 de Fevereiro de 2020,

Política

A | A

Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 17h:05 | Atualizado:

RISCO DE CASSAÇÃO

TRE quer evitar "espetáculo" e decreta sigilo de ação contra deputado de MT

Denúncia investiga movimentações suspeitas de Neri Geller e seu filho


Da Redação

nerigeller2.jpg

 

O desembargador Sebastião Barbosa Farias, Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), determinou sigilo na Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) movida contra o deputado federal Neri Geller (PP) por abuso de poder econômico. A decisão foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico (DJE) do TRE de Mato Grosso. 

Na ação, a Justiça Eleitoral investiga movimentações financeiras incompatíveis com o patrimônio declarado à Receita Federal realizadas entre o parlamentar e o filho Marcelo Piccini Geller. 

Segundo o Ministério Público Eleitoral, Geller teria transferido R$ 4,8 milhões ao filho que também transferiu R$ 2.332.340 ao pai. Ainda segundo a denúncia, teria ocorrido uma movimentação financeira de quase o dobro do total da receita total declarada por Marcelo, no período eleitoral.

Na decisão, o desembargador justificou que o decreto busca preservar as informações dos investigados. “Assim, para preservar a intimidade do Investigado e de terceiros e evitar a espetacularização pela mídia”, diz trecho da decisão.

Ainda na decisão, o magistrado acatou o pedido da Procuradoria Regional Eleitoral, autorizando a quebra de sigilo bancário de Marcelo Piccini. “Defiro também, com supedâneo no art. 22, incisos VI, VII e VIII, da Lei Complementar n.º 64/1990, a decretação do afastamento do sigilo bancário de todas as contas de depósitos, contas de poupança, contas de investimento e outros bens, direitos e valores mantidos em Instituições Financeiras de (Sigiloso)”.

 

Postar um novo comentário

Comentários (6)

  • Ruidnan | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 21h23
    0
    0

    Engraçado justiça é pra quem mesmo. E ainda querem que acreditamos nela. O problema não são as leis que regem a justiça e sim os homens corruptos q que. A interpretam

  • Antônio | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 19h18
    1
    1

    Tá bom... a população sabe as verdadeiras preten$ões do TRE...

  • Amosil | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 18h43
    1
    1

    Da senadora Selma,foi tudo ESCANCARADO.... ÁGORA DESSE Q TEVE SUSPEITA NO GOVERNO do pt, NÃO PÔDE??? EITA DEMOCRACIA...

  • jose a silva | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 17h50
    1
    1

    Sei qual espetáculo! Quanto vai custar a decisão!

  • Armindo de Figueiredo Filho | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 17h36
    2
    0

    NÃO HÁ NADA DE NOVIDADE NESSA MATÉRIA!!! O "NOBRE" gosta de ESPETÁCULO!!! É UM ATRÁS DO OUTRO....Fim de papo .......

  • José | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 17h35
    1
    0

    Este sigilo da para suspeitar já está passando um ano e trez meses da eleição suspeita_ se que só será julgado em 2023 após acabar o mandato o julgamento da senadora Selma foi a toque de Caixa a lei diz que somos todos iguais perante a lei ou somos todos iguais ou não existe justiça?

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS