14 de Agosto de 2020,

Cidades

A | A

Sexta-Feira, 02 de Fevereiro de 2018, 09h:45 | Atualizado:

CRATERA

Cuiabá inicia obra na próxima semana


Diário de Cuiabá

cratera.jpg

 

A cada dia avança a erosão embaixo do asfalto que se formou na Rua Rui Barbosa, no Bairro Porto, em Cuiabá, após a forte chuva registrada na madrugada do dia 27 de janeiro passado. Devido ao risco de desmoronamentos, a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), seguindo orientação da Defesa Civil, interditou o cruzamento da via com a Rua Senador Metelo, trecho que deve entrar em obra já na próxima semana. Os trabalhos devem ser estender por praticamente toda a extensão da Rui Barbosa. 

A principal pista comprometida vai da Avenida Eduardo Brigadeiro Gomes, no Bairro Popular, corta as avenidas Dom Bosco, Thogo Pereira, Leônidas de Matos, a Rua São Joaquim até chegar na Senador Metelo. “A rua tem seu sistema de drenagem composto por tubos. É uma tubulação antiga, com mais de 40 anos e, por ser um material metálico, ao longo do tempo essa tubulação vai sofrendo um processo de corrosão, o que acaba ocasionando a erosão da pista”, informou a administração por meio da assessoria de imprensa. 

Conforme a prefeitura, a obra deverá envolver toda a extensão da Rui Barbosa, o que pode levar pelo menos sete meses de serviço. Contudo, de acordo com o secretário municipal de Obras Públicas, Vanderlúcio Rodrigues, a intenção é liberar o trecho próximo ao cruzamento da Senador Metelo dentro de 30 dias. O cruzamento é importante ponto viário da cidade, especialmente, para moradores de bairros, como o Jardim Independência, Primavera, Goiabeiras, além do Porto. 

“Toda a região por onde passa o Córrego Engole Cobra está comprometida por que a tubulação rompeu. Caso não chova, o prazo é de 30 dias, mas apenas para liberar um trecho de 50 metros”, informou Rodrigues. Em todo o percurso, os trabalhos devem durar de seis a sete meses. A prefeitura informou que ano passado cerca de 70 metros, nas proximidades da Leônidas de Matos, já foram executados. 

Rodrigues explicou que o córrego foi canalizado há 30 anos e a tubulação sofreu corrosão com a ação do tempo. Com isso, rompeu devido à chuva, o peso do aterro e do asfalto. Por isso, será feita toda a substituição da tubulação. 

Sobre possíveis desvios no trânsito, o secretário informou que a criação de rotas alternativas será discutida com a Semob. “Será feito um planejamento prévio de trânsito, que será informado à sociedade”, garantiu. 

Enquanto os trabalhos não começam, a situação preocupa quem trabalha ou reside no local da erosão. “Por enquanto não afetou a estrutura do imóvel, mas não sei como será no caso de uma nova chuva. O que a gente espera é que iniciem as obras o mais rápido possível para não comprometer e prejudicar mais ainda a gente”, disse o empresário Kenio Martins Fontes. 

Da mesma forma espera o soldador Agnaldo de Souza. “Por enquanto, a gente não teme tanto. Mas, se chover, a erosão pode avançar. No sábado (27 de janeiro) já houve, inclusive, a queda de uma casa vizinha”, comentou. A residência que desmoronou fica na Rui Barbosa, a 30 metros da Senador Metelo. Não houve feridos. 

 



Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS