Cidades Quarta-Feira, 24 de Abril de 2019, 21h:00 | Atualizado:

Quarta-Feira, 24 de Abril de 2019, 21h:00 | Atualizado:

Notícia

Deputado propõe programa antidrogas para escolas públicas e selo da escola sem drogas

 

Da Redação

Compartilhar

WhatsApp Facebook google plus

As escolas da rede pública poderão incluir na elaboração de seus projetos políticos pedagógicos à realização de seminários, palestras, dinâmicas de grupos, simpósios, ou qualquer outra forma de explanação, abordando assuntos relacionados à educação e à prevenção ao uso de drogas e substâncias entorpecentes.

Baseado nessa iniciativa, o deputado Thiago Silva (MDB) apresentou projeto de lei 439/2019 (http://www.al.mt.gov.br) que institui o programa educação antidrogas nas escolas da rede pública de ensino estadual de Mato Grosso. Conforme justificativa do projeto, o programa se destina aos alunos do ensino fundamental das escolas da rede pública estadual, na qualidade de tema transversal.

O deputado argumentou que a educação antidrogas, independentemente da modalidade de explanação, deverá ser oferecida de forma rotineira nas escolas da rede pública de ensino do Estado, respeitando o limite máximo de quinze dias entre uma e outra explanação.

A implementação do programa "Educação Antidrogas" nas escolas da rede pública não retira qualquer autonomia pertinentes à sua respectiva grade curricular e ao seu projeto político-pedagógico.

O parlamentar entende que a escola é o lugar adequado para um trabalho educacional de prevenção do uso de drogas, pois elas possuem um papel básico no processo educativo.

“É necessário repensarmos e refletirmos sobre o tema, pois muitas crianças e adolescentes se aproximam das drogas devido à má informação, do fácil acesso a elas, da insatisfação com a qualidade de vida, porque tem uma personalidade vulnerável e até mesmo uma saúde deficiente”, explicou Silva.

Para ele, a droga é um problema social que não diz respeito apenas ao usuário e sua família, pois, “é um entrelace da sociedade, mas que nem todos a apreendem como tal. Envolve a pessoa usuária, o vendedor da droga, o fornecedor, dinheiro, famílias que tem bens furtados, roubados e alguns mortos; ou seja, o capital, tudo pelo desejo de ter a droga”, afirmou Silva.

Na avaliação do deputado, as unidades escolares estão mais perceptivas com esta questão, que segundo Thiago Silva, “mesmo existindo o receio, sabe-se da importância de se trabalhar a prevenção”, comentou ele.

 





Postar um novo comentário





Comentários

Comente esta notícia






Copyright © 2018 Folhamax - Mais que Notícias, Fatos - Telefone: (65) 3028-6068 - Todos os direitos reservados.
Logo Trinix Internet