20 de Setembro de 2019,

Cidades

A | A

Sábado, 17 de Agosto de 2019, 10h:49 | Atualizado:

DENÚNCIAS

Diretor do Hospital de Câncer de MT é afastado


Gazeta Digital

hospitaldecancer.jpg

 

A Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Mato Grosso (OAB/MT), aciona órgãos de controle para investigar denúncias envolvendo o Hospital de Câncer de Mato Grosso (Hcan), divulgadas com exclusividade pelo Jornal A Gazeta. Entre os apontamentos estão o não funcionamento da Unidade de Terapia Intensiva pediátrica, inaugurada há um ano, e médicos que estariam cobrando dos pacientes por procedimentos cirúrgicos realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O médico Lauzamar Roge Salomão Junior, um dos apontados em investigação da Delegacia Fazendária (Defaz), foi afastado do cargo de diretor técnico após a divulgação das denúncias, conforme informou o hospital por meio de nota da administração. Cirurgião-geral, ele continua realizando cirurgias na unidade. 

A OAB/MT também encaminhou ofício ao Tribunal de Ética de Disciplina (TED) da instituição para devidas providências em relação ao diretor do hospital, o advogado Laudemi Moreira Nogueira, que é acusado de ter contratado, com recursos da unidade, o seu próprio escritório de advocacia. Quanto às irregularidades no hospital, em ofício da Comissão de Saúde da OAB/MT, é apontada a expressividade dos fatos divulgados pela imprensa, merecendo, portanto, investigação. 

Foram acionados pela entidade a Procuradoria Geral de Justiça, Procuradoria da República, Tribunal de Contas do Estado, Delegacia Fazendária e ainda o Tribunal de Contas da União (TCU). 

A OAB destaca que o pedido de providências embasa na iminente lesão à sociedade, já que caso essas denúncias se verifiquem, causam ainda mais danos e sofrimento à população mato-grossense. “Levará inúmeras mortes ocasionadas pela falta de acesso aos tratamentos e não suportará mais esse processo de desassistência à saúde”, cita trecho de ofício. 

A instituição requisita que sejam disponibilizadas informações sobre os procedimentos porventura instaurados para investigar a situação que se apresenta o Hospital de Câncer. “Em não havendo procedimento de investigação instaurado para apuração dos fatos noticiados, requer a instauração de necessário inquérito para elucidação dos fatos”, complementa o documento.

Irregularidades

A série de denúncias publicada por A Gazeta nas edições dos dias 11, 12, 13 e 14 deste mês revela a não abertura da UTI, mesmo diante da expressiva necessidade. O local, todo equipado, está pronto há um ano. Ainda o fechamento de leitos e, consequentemente, a não realização de mais de dois mil procedimentos cirúrgicos, atrasos de pagamentos aos funcionários. Procedimentos oferecidos pelo SUS e cobrados por médicos também fazem parte do rol de irregularidades.

Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM), abriu sindicância, esta semana, para apurar denúncia contra o oncologista Lauzamar Roge Salomão Junior.

Outro lado

Em nota publicada no site do HCan, a administração da unidade informou o afastamento do médico Lauzamar. Procurados pela reportagem, ninguém comentou o caso. A nota apenas diz que o diretor técnico do hospital “não mais desempenha suas funções inerentes ao cargo”. No mesmo site, o nome dele ainda consta no corpo gestor.

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS