08 de Julho de 2020,

Cidades

A | A

Sexta-Feira, 21 de Fevereiro de 2014, 11h:23 | Atualizado:

CONTAS PARADAS

Greve dos Correios atrasa entrega de 400 mil cartas em MT

A greve dos funcionários dos Correios chega nesta sexta-feira (20) ao 23º dia e causou o atraso de cerca de 400 mil cartas em Mato Grosso. A paralisação é feita porque a categoria não aceita alterações na gestão do Plano de Saúde fornecido aos funcionários. Apenas 40% do efetivo está trabalhando no estado, em cumprimento a uma decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

De acordo com a assessoria, atualmente os trabalhadores pagam 10% do valor dos procedimentos quando são efetivamente utilizados. A proposta do governo federal é adotar um modelo em que eles paguem uma espécie de mensalidade. Nas agências do estado, o atendimento não foi interrompido. Entretanto, está ocorrendo problemas com a entrega das correspondências. Segundo o diretor-adjunto da regional dos Correios de Mato Grosso, Dilson Leocácio da Rosa, o problema não é tão grave. “A entrega geralmente é normalizada nos fins de semana, quando é feito o mutirão nas cidades pólos do estado, como Cuiabá, Várzea Grande, Barra do Garças, Sinop e Alta Floresta”, explicou o diretor.

Conforme o sindicato da categoria, o atraso é de 60% das correspondências, no acumulado dia a dia. Os carteiros também reivindicam mais segurança nas agências. Somente no ano passado, foram registrados 73 assaltos no estado. Além disso, pedem que a entrega passe a ser feita somente pela manhã, e que o pagamento do Plano de Cargos e Salários seja retroativo desde 1995.

No ano passado, o TST já havia determinado aos Correios que a mudança só poderia ocorrer se houvesse acordo entre as partes, o que não se concretizou. Na próxima segunda-feira (24), deverá ser realizada uma audiência de conciliação trabalhadores e a empresa em Brasília.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS