29 de Março de 2020,

Cultura

A | A

Quinta-Feira, 20 de Fevereiro de 2020, 20h:24 | Atualizado:

O SEU QUE BRILHA

Bloco em MT lembra que enfrentou retaliações por causa do nome


TVCA

seuquebrilha.jpg

 

Um dos carnavais mais animados de Mato Grosso é tradição há mais de 40 anos. Em Santo Antônio de Leverger, 35 km de Cuiabá, tem um folião especial que ajuda a organizar a folia ao longo dos anos: Hugu Padilha, um dos fundadores do Bloco O seu que brilha, tradicional no município desde a década de 1970.

As pessoas novas que vão ao carnaval a primeira vez e assistem os desfiles dos blocos ficam curiosas com os nomes. Segundo Hugo, que ajudou a fundar o bloco, o nome surgiu a partir de um bordão usado por um morador da cidade. Porém, ele usava com uma conotação diferente, pois era muito brincalhão.

O bloco surgiu 1974 em uma reunião entre amigos. Para comprar os instrumentos e fantasias, os integrantes fizeram um caderno de cotas e começaram a pedir à população. Hugo contou que o caderno das doações era chamado de livro de ouro.

Em um fusca verde, o fundador viajou até Campo Grande, em Mato Grosso de Sul, para comprar 10 instrumentos. E, com isso, começaram a desfilar e tocar. Segundo ele, a partir daí o bloco foi crescendo e se tornando tradicionalmente popular.

O nome engraçado e divertido de um dos primeiros blocos da cidade serviu de inspiração para outros nomes diferentes. O Bloco O seu que brilha mudou o ritmo do carnaval em Santo Antônio de Leverger, segundo Hugu.

Hugu contou que, nos primeiros anos, o grupo enfrentou problemas. Os pais proibiam as filhas de participarem do bloco por causa do nome. Um delegado determinou que o bloco só poderia se apresentar caso mudasse de nome.

“Os pais proibiam as filhas, mas depois aos poucos elas acompanhavam de longe e foram chegando e começaram a desfilar e fantasiar junto conosco no bloco.”, contou Hugu.

Contrariando a ordem da autoridade, o bloco fez um ato e saiu desfilando às 15h em direção à delegacia e começaram a cantar um marchinha com menção ao trabalho dos policiais. Segundo ele, a manifestação foi civilizada e a música também, até que o delegado não foi mais contra.

Desde o ano passado, o bloco não desfila, pois a velha guarda cansou e fez uma pausa. Segundo o fundador, este ano não haverá desfile com o bloco, mas os integrantes prometem voltar em 2021. Outros blocos como ‘Pau brilhoso”, entre outros devem desfilar neste ano.

Segundo a prefeitura, a cidade é uma das mais pacatas do estado. Na época de carnaval, milhares de pessoas comparecem para brincar e festejar. Em 1990, o movimento aumentou. Chegava a ter cerca de 50 mil pessoas por dia. Os blocos até viraram destaque internacional.

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS