24 de Maio de 2019,

Curiosidades

A | A

Quinta-Feira, 14 de Março de 2019, 15h:12 | Atualizado:

FESTIVAL

Alunos criam miniaturas de carros de Fórmula 1

carrinho-formula1.jpg

 

O grupo de alunos foi selecionado pelas próprias escolas para formar a equipe que representará o estado de Mato Grosso no torneio nacional da F1 in schools (F1 nas escolas). A equipe é formada por seis estudantes e cada um tem um cargo específico.

Isabela Gaudie Lei, de 15 anos, é engenheira-chefe da equipe; Maria Eduarda Bitencountt, de 17 anos, é diretora de marketing; João Eduardo, de 16 anos, é designer 3D; Luiz Felipe, de 16 anos, é designer gráfico; Fernanda Carvalho Fernandes, de 16 anos, é diretora financeira; Britney Emily, de 16 anos, é gerente geral, e a professora Mara Tereza Antunes dos Santos Farias, que no grupo atua na função de técnica de robótica.

Além dos alunos e da professora que formam a equipe, o professor Carlos Eduardo foi selecionado para ser um dos juízes da competição.

No Brasil, o torneio Fórmula 1 nas escolas é internacionalmente reconhecido e acontece desde 2015. A competição é voltada para jovens de 12 a 18 anos, com o intuito de estimular a criatividade, o desenvolvido e o empreendedorismo.

A aluna Britney está empolgada e afirmou que valerá a pena, independentemente do resultado.

''Estou muito confiante, pois a experiência no desenvolvimento e o progresso que a equipe teve com a elaboração do projeto nas áreas de engenharia, patrocínio, marketing e negócios foram incríveis. Independentemente do resultado, só de ter a oportunidade de participar vai fazer a toda a diferença na minha vida'', disse.

A equipe criou a empresa denominada 'Tu-Caré'. Eles disseram que a ideia do nome é para honrar a cultura mato-grossense e foi inspirado em animais do bioma do Pantanal, escolheram o Jacaré e o Tucano.

De acordo com os estudantes o nome foi especialmente elaborado, usando de neologismo a língua nativa do estado para criar a palavra a partir da língua Tupi-guarani, fazendo a junção de tu-can (tucano) e jaeça-caré (jacaré).

Como ação social, criaram “O despertar: é tempo de ler”, que incentiva o hábito da leitura e a proposta é trabalhar com crianças carentes entre 6 a 10 anos atendidas pelo Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), do Bairro Cristo Rei, Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá.

A professora e responsável pelos alunos, Mara Tereza, disse estar satisfeita com o desempenho dos alunos.

''Sinto orgulho em ver o crescimento deles atuando como protagonistas das próprias ações, com responsabilidade, dinamismo e almejando um futuro promissor. É muito gratificante contribuir com o crescimento de cada um'', relatou.

Os alunos conseguiram patrocínios para custear uniforme, materiais para produção do projeto e as despesas com a viagem.

O festival

Alunos de escolas públicas e particulares vão apresentar o resultado prático do aprendizado sobre ciências, matemática, física e outras disciplinas ligadas à tecnologia. Na edição deste ano, o Festival SESI de Robótica contará com a participação de mais de 1.200 alunos.

São três as categorias: o Torneio SESI de Robótica FIRST LEGO League, o Torneio SESI de Robótica FIRST Tech Challenge (Desafio tecnológico) e o Torneio SESI F1 in Schools (F1 nas Escolas).

 

Galeria de Fotos

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS