15 de Agosto de 2020,

Economia

A | A

Quinta-Feira, 27 de Fevereiro de 2014, 07h:21 | Atualizado:

Cuiabá apresenta programa que simplifica abertura de empresas

O secretário municipal de Fazenda, Guilherme Müller, apresentou na tarde desta quarta-feira (26) como funcionará a Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim). A apresentação foi realizada na sede do Conselho Regional de Contabilidade de Mato Grosso (CRC-MT) e contou com a participação de profissionais da área.

A Redesim é um programa federal que estabelece diretrizes e procedimentos para a simplificação e integração do processo de registro e legalização de empresários e de pessoas jurídicas. A previsão é de que o sistema entre em funcionamento até o final de março.

O secretário municipal de Fazenda, Guilherme Müller, destaca ainda que a Redesim irá integrar ainda informações obrigatórias da Jucemat, Prefeitura e Receita Federal. 

“Assim, todos os dados poderão ser padronizados, evitando erros cadastrais e possíveis prejuízos, tanto para os empresários como para os órgãos envolvidos. A Prefeitura de Cuiabá tem o compromisso de facilitar a vida do contribuinte e também dos profissionais da contabilidade, que são fundamentais para o crescimento das empresas e desenvolvimento da cidade”, disse.

De acordo com o presidente da Jucemat, Roberto Peron, a Redesim tem vai desburocratizar a abertura ou fechamento de uma empresa, que antes demorava em média de 30 a 60 dias, além de diminuir custos para o empresário.

“A Redesim foi criada para facilitar os trâmites, tanto de abertura de empresa, como de alteração de cadastro. Todo o trabalho que antes levava mais de 60 dias será feito em menos de dois dias”, explicou.

Segundo a presidente do CRC-MT, Silvia Albuquerque, a implantação da Redesim atende a uma necessidade de todos os contadores.

“Abrir uma empresa hoje depende de um emaranhado de documentos, certidões e alvarás. Agora poderemos desempenhar nosso trabalho com mais agilidade e facilidade”, afirmou.



Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS