24 de Fevereiro de 2020,

Esporte

A | A

Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 12h:25 | Atualizado:

REFORÇO MATADOR

Após banco, rede de lojas também veta patrocínio ao Operário de VG

OAB se manifestou em favor do "direito a ressocialização" de goleiro


Da Redação

bruno.jpg

 

A Eletromóveis Martinello, principal patrocinadora do Campeonato Mato-grossense de Futebol ao lado do Sicredi, anunciou nesta terça-feira (21), a suspensão do patrocínio ao Clube Esportivo Operário Várzea-grandense por conta da contratação do goleiro Bruno Fernandes. Ontem, o Sicredi já havia anunciado que o "Chicote da Fronteira" não receberia patrocínio da cooperativa de crédito.

A contratação de Bruno tem gerado polêmica pelo fato do jogador ter sido condenado, em 2013, pela morte da ex-amante e mãe de seu filho, Eliza Samudio. O crime ocorreu em 2010.

Na nota, a patrocinadora do campeonato destaca que reconhece a importância da ressocialização, mas critica o fato de um condenado por homicídio triplamente qualificado possa a figurar na condição de "ídolo esportivo". "Embora seja lícito que o ex-atleta tenha pretensões de voltar ao trabalho e se reintegrar à sociedade, não concordamos que condenado por crime tão grave e torpe seja elevado ao patamar de ídolo esportivo, pois o esporte é para cidadãos exemplares que cultivam a vida, o respeito ao próximo e o espírito de equipe", diz.

Por conta disso, a Martinello assinalou que não quer ter sua imagem associada ao ex-goleiro. "Não é nosso papel ou direito intervir nas decisões administrativas das equipes participantes do campeonato, mas não permitiremos, ainda que por força de medidas judiciais, que a equipe Clube Esportivo Operário Varzea-grandense seja vinculada à nossa empresa utilizando uniformes que contenham a nossa marca ou que conceda entrevistas em frente ao painel com a nossa marca, enquanto mantiver a decisão de integrar ao seu quadro o ex-atleta em questão".

 

OUTRAS MANIFESTAÇÕES

Desde que a contratação de Bruno foi anunciada pelo Operário, diversas entidades e empresas estão se manifestando contra ou a favor da vinda do atleta para a equipe, que neste ano disputa, além do estadual, a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro da Série D.

Na segunda-feira (20), a Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso (OAB-MT) citou que está na defesa do direito à “ressocialização”.

No comunicado, a OAB afirmou não cabe às instituições fazer julgamentos morais já que é de responsabilidade de cada um arcar com as consequências dos seus atos na esfera onde vivem, seja pessoal ou profissional.

Contudo, apesar de defender a contratação do mineiro, a OAB repudiou “todo e qualquer ato de violência, especialmente de violência contra as mulheres, atos bárbaros e torpes”.

CONTRATAÇÃO

Bruno Fernandes foi "especulado" para jogar no Operário no início deste ano. O anúncio, porém, dependia de um aval da Justiça de Minas Gerais, onde ele cumpre pena no regime semiaberto desde o ano passado.

A decisão favorável a vinda dele para Mato Grosso ocorreu na última sexta-feira. Desde então, o atleta é esperado na Cidade Industrial para se integrar a equipe tricolor.

Entidades ligadas à defesa da mulher estão programando atos contra a contratação. Nesta terça-feira, às 20 horas, um grupo se concentrará em frente ao estádio Dito Souza, no Cristo Rei, onde o Operário estreia contra a equipe do Poconé. 

NOTA DA MARTINELLO

A Eletromóveis Martinello, copatrocinadora do Campeonato Mato-grossense de Futebol de 2020, em função das notícias recentemente veiculadas sobre a possível participação no campeonato do “Goleiro Bruno”, condenado em 2013 por homicídio triplamente qualificado, vem a público esclarecer o seguinte:

É louvável que a comunidade proporcione nova chance a reeducandos. Nesse caso, porém, não se pode deixar de considerar a extrema gravidade do crime de feminicídio que ainda hoje choca e comove todo o país.

Embora seja lícito que o ex-atleta tenha pretensões de voltar ao trabalho e se reintegrar à sociedade, não concordamos que condenado por crime tão grave e torpe seja elevado ao patamar de ídolo esportivo, pois o esporte é para cidadãos exemplares que cultivam a vida, o respeito ao próximo e o espírito de equipe.

Não é nosso papel ou direito intervir nas decisões administrativas das equipes participantes do campeonato, mas não permitiremos, ainda que por força de medidas judiciais, que a equipe CLUBE ESPORTIVO OPERÁRIO VARZE-GRANDENSE seja vinculada à nossa empresa utilizando uniformes que contenham a nossa marca ou que conceda entrevistas em frente ao painel com a nossa marca, enquanto mantiver a decisão de integrar ao seu quadro o ex-atleta em questão.

Em nossos 30 anos de história atuamos com convicção e vigor no incentivo ao esporte profissional e amador, patrocinando, apoiando e investindo em milhares de eventos em todos os 54 municípios mato-grossenses onde atuamos.

Em nossa empresa promovemos a igualdade de direitos e de oportunidades entre homens e mulheres. 

Seguiremos acreditando e investindo nos valores essenciais do esporte, cumprindo o nosso papel social de incentivar o desenvolvimento humano através das práticas esportivas.

Acima disso, seguiremos combatendo as injustiças e lutando pelo respeito e os direitos das mulheres.

 

NOTA DA OAB

A Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT) reitera seu repúdio a todo e qualquer ato de violência, especialmente de violência contra as mulheres, atos bárbaros e torpes. 

Por meio de suas comissões temáticas e na qualidade de representante sociedade civil organizada, a Ordem se mantem vigilante e à disposição da população para cumprir seu dever de zelar pela Constituição, pelos direitos sociais e pelo Estado Democrático de Direito.

Assim, a OAB-MT também reitera seu posicionamento em defesa da ressocialização e da reinserção no mercado de trabalho, tendo em vista que este é o objetivo maior do sistema penal brasileiro insculpido no texto constitucional e na Lei Execução de Penal.

Contudo, além do sistema judicial, cada cidadão e cidadã também está submetido ao sistema social, no qual não cabe às instituições julgamentos morais, sendo de responsabilidade de cada um arcar com as consequências dos seus atos na esfera onde vivem, seja pessoal ou profissional.

Diante dos fatos recentes envolvendo a contratação de um atleta por um clube de futebol de Mato Grosso, a Comissão de Direito da Mulher da OAB-MT continua seu trabalho e compromisso de zelar pelos direitos das mulheres. 

Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT)

Comissão de Direito da Mulher/ OAB-MT

Postar um novo comentário

Comentários (23)

  • Célia | Domingo, 26 de Janeiro de 2020, 09h35
    0
    0

    Nossa! Com essa contratação ta é dando o aval pra ele e outros matar mais mulheres e sumir com o corpo que fica tudo bem, torço para que as mulheres não frequentem esse clube porque se depender de mim ele já faliu.

  • papa | Quarta-Feira, 22 de Janeiro de 2020, 13h27
    2
    0

    celia cabral, uma mulher fazendo esse tipo de comentario é um tanto quanto idiculo, vcs falam de 2 chance mas e a mae do filho dele, teve essa 2° chance? não ne? agora ta tudo certo pra vcs ele virara ídolo? ta errado, ele nem devia ter saído da cadeia, ele matou, ocultou cadaver... não a contratação desse homem, uma coisa é certa, quantas vítmas esse homem pode fazer aqui?

  • Yasmin | Quarta-Feira, 22 de Janeiro de 2020, 12h57
    1
    0

    O cara mata a esposa, pica ela em pedacinhos e serve de comida pros cachorros e volta a jogar sereno e pleno? Nem a pena toda ele cumpriu. Isso é um absurdo e vocês sao malucos.

  • Jaime marcio | Quarta-Feira, 22 de Janeiro de 2020, 07h31
    2
    0

    Todo mundo tem direito de ressocialização porém existe milhares de formas de se fazer Isso, no caso específico tratar um bandido como ídolo ai é demais, além disso ele ainda está omitindo parte do crime onde está o corpo pra família enterrar

  • Célia Cabral | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 21h25
    3
    5

    Ele foi julgado e condenado, está pagando pelo que fez,foi um crime bárbaro, mais ele merece recomeçar a vida, tantos que roubaram de medicamentos público, merenda escolar,tiram a vida de pai de família e ganham a liberdade,se olharmos ao nosso redor veremos muitos e muitos que não receberão pena alguma,sou mulher,mas sou a favor da reconstrução do ser humano.

  • TRICOLOR | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 21h14
    5
    3

    UAI, quantas e quantas vezes vemos nos noticiários policiais: fulano de tal, com 15 passagens pela policia, . . blá blá blá... então o Bruno também tem chance de se ressocializar, por que não . . . / / / ???? então alguns políticos com vários processos por propina, também não podem ter cargo eletivo, e tem... tipo: um cara que usa paletó, não me lembro o nome dele . . .

  • Paquetá | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 17h58
    7
    6

    Pois é! Vou encerrar minha conta na Coop. SICREDI e nem vou entrar em lojas Martinello mais! Eles que fiquem com sua ignorância! Povinho hipócrita! Todo mundo fala em oportunidades, mas longe deles! Quando perto, pulam fora? Que demagogia é essa?

  • Fudum | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 17h38
    10
    7

    Silval, Riva e outros vcs receberam de braços abertos né? Hipócritas..não compro mais com vcs.afeus banco Sicredi adeus Martinelli.

  • Cidadao | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 17h33
    11
    8

    Vou fechar minha conta no Sicredi e não compro mais na Martineli..vcs são contra ressocialização...preferem que ele volte a matar né?

  • AGORA TODO MUNDO É FÃ DE BANDIDO | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 17h27
    5
    2

    acho engraçado, quando um ladrão pé de chinelo é solto, todo mundo reclama da justiça, "e a oportunidade da vítima" é o que falam, agora quando o cara é jogador, os cuiabanos burros que rolam na lama de tão porcos, ficam elogiando, vsf, bando de falso moralistas, bandido bom é bandido morto!

  • walter liz | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 16h21
    10
    7

    na loja ou no banco sera que tem algum departamento ou detector pra ver quem é bandido , assassino, corrupto, ou só o Bruno ? nossa legislação que é uma bosta, ele esta livre por conta disso, assim como muitos outros inclusive os que roubaram dinheiro do povo e que também deveriam estar na cadeia

  • Junior | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 15h00
    14
    15

    Não compro mais nada na Martinello, não apoia a ressocialização das pessoas, porque? quem julga, condena e absolve é a justiça. Vamos ser mais humano e olhar no espelho tbem, uma duvida, quantos impostos já foi sonegado pela loja Martinello? vamos para com essa hipocrisia maligna.

  • INDIGNAÇÃO | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 14h47
    15
    13

    Não gosto do Bruno e detesto futebol, mas farei o inverso do que essa loja de departamentos e esse banco de crédito querem. Não vou comprar nesta loja e jamais abrirei conta neste " banco ". Pois ambos não acreditam na recuperação do ser humano. Ambos condenam o tal Bruno a um eternidade de " prisão ". Com pensam e agem de forma preconceituosa, não faço mais questão de entrar nestes estabelecimentos.

  • MARIA TAQUARA | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 14h22
    19
    10

    O julgamento criminal já terminou, ele cumpre sentença No julgamento moral, para mim, ele continua condenado até o dia que dizer o que foi feito do cadáver da Eliza.

  • alexandre | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 14h14
    5
    11

    mimimi esquerda, tão fazendo errado...

  • orlando | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 14h05
    28
    6

    A OAB NÃO TEM QUE FALAR NADA. ELA REPRESENTA OS ADVOGADOS, A REPRESENTAÇÃO DE BANDIDOS FICOU COMUM PARA A OAB, QUE VEM SE MOSTRANDO UMA INSTITUIÇÃO PARTIDÁRIA ESQUERDISTA.

  • jorge da silva | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 14h00
    28
    6

    quem é a OAB na ordem do dia, existe ou serve pra alguma coisa.

  • Daniel | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 13h54
    26
    16

    Será que a loja Martinello, na aceitaria como seu cliente pessoas como Ri.va, Lu.la entre outros políticos condenados por crime?

  • leocadio | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 13h39
    20
    18

    Mais uma querendo fazer média. É muita hipocrisia.

  • Amanda Duarte | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 13h26
    22
    7

    É um tema espinhoso. O importante é o que o fato trouxe à tona um debate bem importante. Se de um lado o combate à violência contra a mulher é uma bandeira que deve permanecer sempre também é importante discutir a reinserção do cidadão após o cumprimento da pena.

  • Marcos Justos | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 13h25
    24
    21

    Eu como TORCEDOR do VG não vou comprar na Martinello mais. Direito deles, direto meu!

  • Rico | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 13h08
    27
    19

    Parabéns ao grupo Martinelo lugar de lixo é no lixo.

  • Adonis | Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 13h02
    14
    20

    Como bom Cuiabano, vou dizer a essa empresa "POVO BESTA", SÓ VÃO PERDER CLIENTES SE MANIFESTANDO.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS