14 de Novembro de 2019,

Mundo

A | A

Quarta-Feira, 26 de Fevereiro de 2014, 14h:03 | Atualizado:

Mizael Bispo escreve livro e chora ao falar sobre vida na prisão

Preso há dois anos no presídio militar Romão Gomes, o policial reformado e advogado Mizael Bispo de Souza, condenado a 20 anos de prisão pelo assassinato da ex-namorada, a advogada Mércia Nakashima, ocorrido em 23 de maio de 2010, falou em entrevista exclusiva à repórter do SBT Simone Queiroz que está escrevendo um livro para mostrar que não é o monstro no qual a mídia o transformou.

Além de se dizer vítima de preconceito racial por parte da família da ex-namorada, o policial reformado escreve que Mércia teria um novo companheiro que armou uma armadilha contra ele. Questionado sobre as fugas no período da investigação policial, Souza se recusou a responder, alegando que a pergunta não constava na pauta. Ele também se recusou a responder se considera sua pena longa e qual sentimento tem em relação à família de Mércia.

Em um alojamento-cela que tem espaço para 18 presos, mas que atualmente abriga apenas dez detentos, e que não tem a porta trancada, Souza sinaliza não querer passar muito tempo nela ao dizer que "nem um pássaro quer ficar preso" e afirma que a prisão abalou sua saúde e que toma remédios para dormir. Apesar de pensar na possibilidade de voltar a advogar um dia, Souza se diz decepcionado com a Justiça, "inclusive com a OAB", afirma ele.

Como outros colegas de cela, o policial reformado frequenta o espaço ecumênico do presídio onde assiste a cultos evangélicos. "Todos nós somos pecadores", responde antes de afirmar que tem sua consciência tranquila.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS