08 de Dezembro de 2019,

Polícia

A | A

Quarta-Feira, 14 de Agosto de 2019, 19h:26 | Atualizado:

TRAGÉDIA

Casal atropelado por esposa de ex-deputado passará por cirurgia em MT


TVCA

atropeladp.jpg

 

O pai e a madrasta da criança que morreu atropelada pela mulher do ex-deputado federal Adilton Sachetti (PRB-MT), Lidiane Campos, devem passar por cirurgias por causa do acidente. Marcos Souza da Costa, de 30 anos, deve operar os dedos do pé esquerdo, e Dayane Palmeira dos Santos, de 35 anos, o joelho e o tornozelo da perna direita. Daniel Augusto Costa, de 3 anos, morreu no domingo (11) em Rondonópolis, a 503 km de Cuiabá, depois de ter sido atropelado.

Lidiane se apresentou na 1ª delegacia da Polícia Civil nesta quarta-feira (14), prestou depoimento e foi liberada em seguida. Ela dirigia uma caminhonete que atingiu a motocicleta que estava o casal e a criança. De acordo com o boletim de ocorrência, Lidiane não prestou socorro, fugiu do local e abandonou o veículo.

No dia do acidente a família retornava de uma comemoração dos Dia dos Pais. Marcos que teve ferimento no pé também já prestou depoimento. O pai e a madrasta estão se recuperando e aguardando por cirurgias. Nos próximos dias o casal deve retornar ao hospital, Marcos poderá realizar a operação daqui 15 dias e Dayane ainda vai marcar as duas cirurgias que deverá fazer.

Marcos contou que ele e a mulher dele estão tendo dificuldades para comer e se recuperar, eles estão recebendo doações de alimentos e remédios. Segundo ele, Lidiane e o marido dela, Adilton, não estão dando assistência a família. Dayane é desempregada e Marcos era o único que trabalhava.

Dayane disse que não sabe como vai ser a vida pois tem duas cirurgias para realizar e não tem previsão, o marido era o único que trabalhava. Ela está desempregada, e ambos não conseguem trabalhar pois ficaram impossibilitados após o acidente. Ela também disse que não recebeu nenhum tipo de assistência da blogueira e do ex-deputado federal.

Segundo o advogado de Lidiane, Wilson Lopes, disse que ela e Sachetti tentaram dar assistência ao casal mas eles recusaram. Ele foi até o hospital acompanhado com uma assistente social onde a madrasta estava internada e ofereceu ajuda, deixou nome e telefone. Também foram até o velório e foi oferecido assistência, o auxílio funeral mas foi negada a ajuda. Wilson não disse para quem ofereceu a assistência no hospital e no velória a assistente social teria falado com familiares.

De acordo com a Polícia Civil, Lidiane pode ser indiciada pelo crime de homicídio culposo (quando não há intenção de matar) na direção de veículo e omissão de socorro. O inquérito deve ser concluído em 30 dias. Mas esse prazo pode ser estendido se houver necessidade de mais investigação sobre o caso.

O acidente

O acidente ocorreu por volta de 18h40 no cruzamento da Avenida 15 de Novembro com a Avenida Tiradentes, no Centro de Rondonópolis. Lidiane dirigia uma Hilux SW4 que cruzou a Avenida 15 de Novembro, atingindo a moto que estava a família e a criança de 3 anos.

A caminhonete, mesmo após a batida, prosseguiu até a Rua Rosa Bororo e virou fugindo pela contramão. Quando a polícia chegou encontrou a caminhonete na própria Avenida 15 de Novembro, local do acidente.

O automóvel foi apreendido, mas a motorista não estava no local. O casal e a criança foram socorridos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ao Hospital Regional de Rondonópolis.

A criança não resistiu e morreu por volta de 23h. A polícia pediu exame de corpo de delito e fez a liberação. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML). Um boletim de ocorrência foi registrado por omissão de socorro e homicídio culposo foi registrado na Polícia Civil.

O velório da criança foi feito na segunda-feira (12) na Casa de Velório União Familiar - Funerária São José. O sepultamento ocorreu por volta das 15h30 no Cemitério do Lourencinho, na saída de Rondonópolis para Pedra Preta, a 243 km de Cuiabá. A creche onde Daniel estudava, CMEI Jéssica Adriana Ferreira Lima, decretou luto e suspendeu as aulas no dia.

 

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • J.José | Quarta-Feira, 14 de Agosto de 2019, 20h51
    0
    0

    Hoje vi duas imprudências, 1) um casal transportando um bebê recém nascido entre os dois. 2) outro casal transportando uma criança de 4 anos usando capacete, só que no tanque da moto. Indaguei os dois sobre o perigo, ignoraram!

  • Indignado | Quarta-Feira, 14 de Agosto de 2019, 19h39
    5
    1

    Não sei se minha impressão, mas todo culpado qdo vai na delegacia, vai vestida de coitadinha, essa então se superou, ainda estou na dúvida se é a mesma.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS