25 de Agosto de 2019,

Política

A | A

Sexta-Feira, 26 de Abril de 2019, 00h:52 | Atualizado:

FOGO NO TUCANATO

Ex-secretário de MT recebeu propina de ex-ministro de Temer em aeroporto de SP

Permínio ainda detalha que caixa 2 financiou campanhas à AL em 2014


Da Redação

Permínio Pinto manifestação.jpg

 

Ex-secretário de Educação, Permínio Pinto (PSDB) contou em delação premiada que utilizou mais de R$ 1 milhão, em caixa dois, para financiar as campanhas eleitorais dos deputados Wilson Santos, Carlos Avalone e Guilherme Maluf, todos de seu partido, em 2014. Este último renunciou à cadeira no parlamento para se tornar conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Além desses, haveria um quarto beneficiado, identificado apenas pela sigla AV, que Permínio diz não se lembrar quem é. As outras siglas de identificação de tucanos eram WS, AVA e GUI

Permínio afirmou que recebia valores a mando de Nilson Leitão (PSDB), presidente do partido à época, para fazer pagamentos de campanhas enquanto era titular da Seduc no governo Pedro Taques (PSDB). Para isso, usava até mesmo uma conta corrente pessoal para receber os depósitos, já que os recursos chegavam até ele em espécie.

Num desses depósitos, recebeu R$ 175 mil para distribuir nas citadas candidaturas, sempre dinheiro não declarado. A grana fora doada pela Editora Terra do Saber Ltda e, sempre segundo Permínio, Leitão revelou que essa editora também doou recursos não contabilizados para a campanha do ex-governador Pedro Taques (PSDB) por meio do primo, Paulo Taques.

A delação premiada do ex-secretário de Pedro foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Na narrativa para esmiuçar o esquema aos ministros, detalhes como o de que Permínio foi “algumas vezes” até o ninho número 1 do tucanato, São Paulo, buscar malas de dinheiro com Ubiratan Queiroz, do Grupo Galvão, também enredada na Operação Lava Jato.

Pinto diz que se encontrou com Queiroz no Hotel Blue Tree a pedido de Leitão. Lá, o empresário entregou ao ex-secretário uma valise de tecido preta com R$ 150 mil em notas de R$ 100.

Logo após receber a bolsa com dinheiro, o operador financeiro do esquema fraudulento do PSDB dirigiu-se a uma agência bancária e o depositou em uma conta específica indicada por Leitão. Permínio contou que a conta, da qual somente ele e o presidente Leitão tinham a senha, era utilizada para fazer os vários pagamentos realizados a mando do ex-deputado federal.

Há mais revelações na delação em curso no STF, como a de que o ex-diretor da extinta CAB Ambiental, Ítalo Joffily Neto, seria o elo entre Nilson Leitão e o Grupo Galvão, desde 2009/2010, quando Leitão realizava consultorias para as empresas do grupo que prestavam serviços de água e esgoto.Em 2014, Permínio Pinto trabalhava no gabinete de Nilson Leitão em Brasília e, submetendo-se à ordem de seu chefe, retornou a São Paulo para buscar valise de tecido recheada com R$ 139 mil.

AEROPORTO

Nesse mesmo ano, Permínio encontrou-se com o ex-ministro das Cidades, deputado federal Bruno Araújo (PSDB-PE), no Aeroporto de Congonhas em São Paulo (PSDB). Leitão também enviou Permínio a um escritório de advocacia em São Paulo para buscar dois envelopes com dinheiro.

Os valores seriam R$ 69 mil e R$ 98 mil, dinheiro este depositado em contas indicadas por Leitão e operadas pelo ex-secretário para pagamentos e depósitos fraudulentos.

OUTRO LADO

O deputado estadual Wilson Santos (PSDB) se posicionou por meio de nota. Ele negou ter recebido recursos de "caixa 2".

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Com relação à reportagem que trata da delação premiada do ex-secretário de Estado de Educação, Permínio Pinto, o deputado estadual Wilson Santos (PSDB) vem a público esclarecer que:

*Enquanto líder do governo Pedro Taques (PSDB) na Assembleia Legislativa, manteve diálogos com Permínio Pinto logo após ser deflagrada a Operação Rêmora para obter informações que pudessem vir a subsidiar a defesa da administração pública estadual perante o Parlamento, jamais tratando de assuntos ilícitos e estranhos ao mandato de parlamentar. 

*O deputado Wilson Santos nega qualquer recebimento de dinheiro ilícito ou via caixa 2 para a campanha eleitoral de 2014, quando foi eleito para o terceiro mandato na Assembleia Legislativa com 20.562 votos da população mato-grossense.

*Em 2014, a campanha do candidato a Câmara dos Deputados Nilson Leitão doou oficialmente para a campanha do deputado estadual Wilson Santos a quantia de R$ 23,001. 93 (Vinte e três mil um real e noventa e três centavos) que foi declarada oficialmente à Justiça cujas contas de campanha foram devidamente aprovadas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Mato Grosso.

 

Postar um novo comentário

Comentários (12)

  • Air Francisco Costa | Sexta-Feira, 26 de Abril de 2019, 16h25
    0
    0

    Só tem uma solução, capacitar e habilitar o cidadão para votar, ou seja, deverá fazer uma provar para comprovar que está apto para escolher seus governantes. Nela deverá conter conhecimento de política, sociologia e direito eleitoral. Analfabeto e escolarizado até o ensino médio ficam impedidos de votar. Querem que a saúde melhore, mas votam no proprietário de hospital. Querem transporte coletivo de qualidade, mas elegem o dono de empresa de ônibus. Então o que sobra é filas, péssima qualidade dos serviços e choro.

  • JUSTUS | Sexta-Feira, 26 de Abril de 2019, 10h44
    3
    0

    MAS PARA O TJMT, GUILHERME MALUF É UM CIDADÃO ILIBADO....TODO MUNDO NO BOLSO, COM CERTEZA

  • CHIRRÃO | Sexta-Feira, 26 de Abril de 2019, 10h37
    4
    0

    Prendem o LADRÃO DE PÃO..E SOLTAM O LADRÃO DE MILHÃO..

  • CHIRRÃO | Sexta-Feira, 26 de Abril de 2019, 10h36
    3
    0

    SÓ CORRUPÇÃO E OS ÓRGÃOS DE FISCALIZAÇÃO NADA FAZEM!!!

  • Cientista Político | Sexta-Feira, 26 de Abril de 2019, 09h07
    2
    0

    A CULPA É DO ELEITOR BRASILEIRO, QUE INFELIZMENTE EM SUA MAIORIA SÃO BURROS! AFINAL, VIVEMOS EM UMA DEMOCRACIA, PODEMOS TROCAR DE POLÍTICOS A CADA 4 ANOS, TODAVIA, CONTINUAM A ELEGER OS MESMOS, EX: JANAINA RIVA (FILHA DE UM CONDENADO A MAIS DE 100 ANOS DE PRISÃO E PRESIDENTE DA NOSSA AL), WILSON SANTOS, GUILHERME MALUF, EMANUEL PINHEIRO, EMANUELZINHO. ETC ETC. E SE NÃO FOSSE A LEI DA FICHA LIMPA, TERÍAMOS LULA COMO PRESIDENTE, SILVAL BARBOSA COMO GOVERNADOR E POR AÍ IRIA ! REFLITAM ANTES DE CULPAR APENAS OS MELIANTES QUE ESTÃO NO PODER, AFINAL, ESTÃO PORQUE O POVO O COLOCOU LÁ !

  • Adelar | Sexta-Feira, 26 de Abril de 2019, 08h28
    15
    0

    De virar o estômago! Olha o caos que nosso país esta por causa dessa classe!

  • Ggm | Sexta-Feira, 26 de Abril de 2019, 08h28
    10
    0

    Aí está a prova por que O Brasil se encontra nessa recessão, enquanto haver impunidade só vai aumentando os ladrões. Socorro polícia, justiça salvem o Brasil das mãos desses abutres, isso é crime hediondo.

  • Luciana | Sexta-Feira, 26 de Abril de 2019, 07h49
    9
    0

    Na foto da matéria o ex secretário está puxando a passeata contra a corrupção no movimento de rua rua no impeachment da ex Presidente Dilma,cômico e trágico pelos idiotas que o seguiram...

  • José | Sexta-Feira, 26 de Abril de 2019, 07h41
    12
    0

    QUANDO É QUE SERÁ INVESTIGADO O DESGOVERNO PEDRO TAQUES ? O DESGOVERNO PEDRO TAQUES QUEBROU O ESTADO POR CAUSA DOS MAIS DE R$25 BILHÕES DE IRREGULARIDADES EM 2015 A 2018. Até agora não foi apurada a responsabilidade de todos os membros do desgoverno taques quanto aos desvios e fraudes do desgoverno da transformação do estado em caos e roubalheira, cujas irregularidade somadas já ULTRAPASSARAM OS $25 BILHÕES. Só para lembrar aí vai a lista detalhada dos mais de $25 bilhões em irregularidades pendentes de serem apuradas: R$69 milhões em desvios na caravana da transformação; perdão de R$645 milhões em dívida da petrobrás; perdão de R$5 milhões de reais em dívidas da unimed cuiabá; a operação Rêmora por desvio de R$57 milhões na SEDUC; operação Bereré por desvio de R$30 milhões no Detran; operação Grampolândia na segurança pública usada para chantagear adversário; delação de Alan Malouf sobre Brustolin recebendo R$80 mil por fora todo mês; delação de Alan Malouf e Perminio indicando que secretários (Permínio, Brustolin, Julio Modesto e etc) recebendo mensalinho de R$30 mil/mês; mensalinho R$100 milhões por dentro para os deputados; rombo de R$4 bilhões no caixa e desvio de $500 milhões do Fundeb; desvio de R$1,2 milhões no fundo de trabalho escravo; desvio e apropriação de R$300 milhões dos municípios; desvio e apropriação de R$300 milhões dos poderes; aumento de $2 bilhões nos Incentivos Fiscais; aumento de milhares de cargos políticos comissionados, aumentou da folha de pagamento pela contratação de mais de 10.000 pessoas; uso da justiça para proteger seus amigos e secretários conforme disse o cabo Gerson; delação de Alan Malouf tratando de 12 tipos de corrupção entre elas os $10 milhões de caixa 2 administrados por Alan Malouf e Julio Modesto; licitação irregular de 11 bilhões para transporte interestaduais; desvio de R$58 milhões em pontes na SINFRA; $300 milhões em vantagem cobrada de quem recebeu antecipado no decreto do bom pagador; crédito de R$100 milhões para o primo Paulo Taques; maracutaia com a juizá candidata para ferrar o Silval e a família dele; irregularidades de R$3 bilhões no Edital nº 02/2018 da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) sobre rodovias MT 246, MT 343, MT 358 e MT 480. Além disso, apropriação indébita de R$70 milhões descontado dos salários dos servidores públicos para pagar empréstimos consignados, estouro da folha pagando vantagens para apaniguados políticos que receberam salários acima de R$100 mil, contratação irregular de 2000 cabos eleitorais na SEDUC para fazer campanha para o ex-secretário Mahafon, peculato ao gastar R$10 milhões em telefone por secretaria do estado durante a campanha eleitoral para o governo 2018; R$180 milhões em indenizações irregulares pagas em 2018 as empresas supostamente prestadoras de serviços na Secretaria de Estado de Saúde Secretaria. Pedro Taques e Gallo cometeram crime de responsabilidade de R$3,7 bilhões ao deixar restos a pagar para o próximo governo sem a devida provisão de fundos exigida na Lei de Responsabilidade Fiscal.

  • Paulo Boss | Sexta-Feira, 26 de Abril de 2019, 07h36
    12
    0

    Todos dirão: NÃO SEI, NÃO VI, NÃO RECEBI, NÃO CONHEÇO ! E continuarão mamando no Poder.. Esperar oque de nossa Justiça que prende ladrãozinho de manteiga e solta o do MILHÃO ??

  • José | Sexta-Feira, 26 de Abril de 2019, 07h01
    5
    0

    Incrível onde tem políticos tem falcatruas entrou na política virou ladrão

  • ELEITOR | Sexta-Feira, 26 de Abril de 2019, 05h59
    8
    0

    MAS O ETERNO SUPLENTE ESTA EM TODAS MESMO É ARARATH, DINHEIRO APREENDIDO, AGORA MALA DE DINHEIRO DE CAIXA DOIS PARA CAMPANHA E MESMO ASSIM SERÁ QUE ELE VAI CONTINUAR NA VAGA DO OUTRO NÃO MENOS DELATADO?

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS