Política Sábado, 12 de Setembro de 2015, 11h:13 | Atualizado:

Sábado, 12 de Setembro de 2015, 11h:13 | Atualizado:

ESCÂNDALO DOS INCENTIVOS

Friboi tenta, de novo, desbloqueio de R$ 73 milhões em MT

Boatos dão conta de operação em breve sobre envolvidos

GLÁUCIO NOGUEIRA
A Gazeta

Compartilhar

WhatsApp Facebook google plus

Ilustração

JBS

 

Os advogados da JBS/Friboi ingressaram com novo recurso para reverter a decisão da Justiça que determinou o bloqueio de aproximadamente R$ 73,5 milhões. A empresa é suspeita de ter recebido benefícios fiscais irregulares na gestão do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), conforme denúncia feita pelo Ministério Público Estadual (MPE).

O bloqueio de bens da empresa e dos demais réus na ação foi determinado em outubro de 2014 pelo juiz Luís Aparecido Bertolucci Júnior. Além da empresa e de Silval, são réus na ação movida pelo MPE o diretor da empresa, Valdir Aparecido Boni e os ex-secretários, Pedro Nadaf (Casa Civil), Marcel Souza de Cursi e Edmilson José dos Santos (Fazenda).

O Ministério Público sustenta na ação que o governador Silval Barbosa editou o Decreto Regulamentar número 994 de 2012 que direcionava determinado benefício fiscal de ICMS para a JBS/Friboi resultando em prejuízos de R$ 73,5 milhões ao Estado. Afirma que os réus, dentre eles Marcel de Cursi, à época se furtaram de suas funções políticas, ao não fiscalizarem a edição do decreto, bem como os seus prolongamentos.

Desde o bloqueio, diversos recursos impetrados junto à 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), pelos adovgados dos réus no processo foram negados pelos desembargadores. No início do mês, o presidente do TJ, desembargador Paulo da Cunha, suspendeu os benefícios fiscais da empresa.





Postar um novo comentário





Comentários (1)

  • Jos? Antonio Sassioto

    Sábado, 12 de Setembro de 2015, 14h47
  • Com todo mundo, inclusive os pretensos sócios que circulam no noticiário, monitorados pela PF, mais de 6 unidades já foram fechadas no Estado. Tem compromisso de funcionar a unidade de Brasnorte até o final do ano (TAC), pecuaristas vendendo quase que exclusivamente à vista, ficou ruim a situação da empresa que, cá entre nós, teve um crescimento vertiginoso. A Justiça faz a sua parte.
    0
    0









Copyright © 2018 Folhamax - Mais que Notícias, Fatos - Telefone: (65) 3028-6068 - Todos os direitos reservados.
Logo Trinix Internet