11 de Agosto de 2020,

Política

A | A

Sábado, 09 de Agosto de 2014, 12h:22 | Atualizado:

VOLTA PRA CASA

Solto, Éder Moraes descarta candidatura e foca em defesa

Ex-secretário tem autorização para conviver com a esposa


Da Redação

paulo-lessa.jpg

 Advogado Paulo Lessa falou com a imprensa após saída de Éder Moraes

Após montar estratégia para não haver registro de suas imagens deixando a prisão, Éder Moraes retornou a sua casa, no condomínio Florais dos Lagos, onde deve passar os próximos dias reclusos. A previsão é de que ele só apareça publicamente na próxima quinta-feira, quando retorna a Justiça Federal para mais uma audiência de instrução, onde será novamente interrogado pelo juiz Jeferson Schneider.

Na saída da antiga sede da Polinter, apenas o advogado do ex-secretário, Paulo Lessa, falou com a imprensa. Ele explicou que a concessão para que o veiculo de Éder entrar no Centro de Custódia não é comum, mas foi necessária. “No caso dele foi aberta uma exceção. Ele tinha uma bagagem muito grande e daria muito trabalho carregá-la até aqui”, declarou.

Paulo Lessa informou que o ex-secretário está tranqüilo e focado apenas em se defender das acusações por crimes contra o sistema financeiro nacional e de lavagem de dinheiro. Ele abortou outros projetos que pretendia executar antes de ser detido, como pro exemplo disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa. “Ele não vai mais ser candidato. É uma decisão pessoal dele, assim como foi renunciar a presidência do Mixto”, afirmou.

Sobre a proposta de uma acareação entre o ex-secretário e o empresário Gércio Marcelino Mendonça Junior, o “Junior Mendonça”, o advogado revelou que o pedido será formalizado no início da próxima semana ao juiz Jeferson Schneider. “Foi uma proposição que ele fez no interrogatório ontem. Ele entendeu que existem conflitos nos depoimentos prestados e sugeriu. Vamos formalizar e caberá ao juiz entender se é, ou não, necessário”, assinalou.

O advogado confirmou que o ex-secretário foi autorizado a manter contato com sua esposa, Laura Teresa da Costa Dias, investigada no esquema que seria comandado por Éder. Com os demais investigados, as medidas restritivas ainda permanecem. “A decisão do ministro designa ao juiz Jeferson Schneider estabelecer eventuais medidas cautelares. Todas dadas inicialmente foram mantidas, exceto com relação a esposa dele”, frisou. 

 



Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Samuel. | Domingo, 10 de Agosto de 2014, 00h40
    1
    0

    Deus esta contigo , seja forte , mil cairao a tua esquerda e outros mil a tua direita. Parabens por voltar a adventista ..

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS