12 de Agosto de 2020,

Artigos

Cidades

A | A

Quarta-Feira, 24 de Janeiro de 2018, 20h:48 | Atualizado:

Cuiabá regulamenta vendedores de comida de rua no dia 19

Uma nova reunião deliberativa aconteceu nesta quarta-feira (24), entre os secretários municipais de Trabalho e Desenvolvimento Econômico e Ordem Pública com os representantes de vendedores ambulantes de comida de rua. A pauta foi o anúncio da data para ínicio do processo de regulamentação da classe, definida para 19 de feveiro.

A partir dessa data, todo o trabalhador que exerce atividade na área central da cidade e já possui cadastro na secretaria irá se readequar a legislação e, manifestar sua escolha entre os pontos mapeados e homolagos pela Prefeitura, para o exercício de suas atividades.

O vendedor que tiver seu Termo de Permissão de Uso (TPU) concedido deverá plastificá-lo e deixar exposto. Outras medidas tomadas para melhorar a identificação do ambulante regulamentado é o uso de crachás e adesivo com a logomarca da Prefeitura no carrinho.

“Nesse primeiro ano nós fizemos os levantamentos, mapeamos as aréas disponíveis para estudarmos  a maneira mais certa e correta de aplicarmos a lei sem atraplhar o trabalho exercido pelos ambulantes. Assim como nós resolvemos o problema das feiras livres em Cuiabá nós vamos fazer com esses vendedores também trabalhem da forma mais adequada. Acredito que com toda essa organização vai ser muito mais fácil para a secretaria operar e controlar, dando suporte para aqueles que se propuseram a estar dentro da legislação”, explicou o secretário municipal de Trabalho e Desenvolvimento Econômico, Vinicyus Hugueney.

De acordo com o secretário de Ordem Pública, Leovaldo Sales, a  realização da fiscalização nos comércios de alimentos em vias e logradouros públicos, serão especialmente para verificar se aqueles que realizam essa atividade detêm o TPU e também se estão cumprindo o que determina a legislação que regulamenta a matéria.

“A prefeitura por meio desse diálogo com a classe e a associação está dando abertura para a escolha e definição privilegiada de um ponto, respeitando o critério de antiguidade, garantindo as  prioridades, sob a proteção da gestão”, afirmou o secretário.

A regulamentação traz questões imprtantes em relação a esse tipo de comercio. É vedado por exemplo a instalação de equipamentos de qualquer categoria em vagas especiais de estacionamento. Um mesmo ponto poderá ser utilizado por mais de um permissionário, desde que exerçam as respectivas atividades em períodos e/ou dias diferentes. O TPU é instransferível.

“Nós temos ciência que só a prefetura não consegue fazer o trabalho de fiscalização, mas enquanto eles [os fiscais], não estiverem presentes nós iremos fiscalizar, para ajudar a combater o comércio irregular, filmando, tirando foto e orientando o colega sobre a  necessidade da padronização”, explicou a presidente da Associação Cuabana de Comida de Rua- (ACCR), Marlene Rodrigues.

O órgão fiscalizador sanitário supervisionará a atividade de comércio de alimentos e realizará inspeções periódicas no local.



Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Rogério | Quarta-Feira, 24 de Janeiro de 2018, 21h37
    0
    0

    Eu não acredito que irá funcionar, o centro sempre foi uma bagunça e não há interesse político pra acabar com isso.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS