17 de Junho de 2019,

Cidades

A | A

Quarta-Feira, 22 de Maio de 2019, 19h:25 | Atualizado:

ADOÇÃO NA PASSARELA

Desfile em Cuiabá repercute mal no país: "crianças tratadas como mercadoria"

OAB e Shopping negam objetivo de "vender" imagem das crianças aptas à adoação

adocao.jpg

 

Um evento chamado "Adoção na Passarela" recebeu diversas críticas nas redes sociais, isso porque, a Associação Mato-grossense de Pesquisa e Apoio à Adoção (AMPARA), em parceria com a Comissão de Infância e Juventude (CIJ) da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT), realizou na terça-feira (21) um desfile com crianças e adolescentes de 4 a 17 anos que estão aptas para adoção no Pantanal Shopping.

De acordo com a associação, o objetivo do evento é dar visibilidade a crianças e adolescentes que estão aptas para adoção. "Será uma noite para os pretendentes - pessoas que estão aptas a adotar - poderem conhecer as crianças, a população em geral poderá ter mais informações sobre adoção e as crianças em si terão um dia diferenciado em que elas irão se produzir, cabelo, roupa e maquiagem para o desfile. Na última edição, dois adolescentes, um de 14 e o outro de 15, foram adotados. E esperamos novamente dar visibilidade as essa crianças e adolescentes que estão aptas a adoção. E como sempre dizemos: o que os olhos veem o coração sente", afirmou a presidente da Comissão de Infância e Juventude da OAB-MT e da Comissão Nacional da Infância, Tatiane de Barros Ramalho, em entrevista ao portal Olhar Direto.

A notícia viralizou nas redes sociais, sendo compartilhada junto de diversas críticas. "Sou adotado, mas tive a sorte de ser adotado aos cinco dias de vida. Fico imaginando se tivesse que passar por isso. Desfilar que nem uma mercadoria pra ver se agrado e encontro uma família pra mim. O Brasil definitivamente não é para amadores. Eu já perdi literalmente qualquer esperança daqui", escreveu um internauta.

"Absurdo! Não posso acreditar que a OAB compactuou com esse evento. Isso só aumentará o sentimento de desprezo e abandono nas crianças que não foram adotadas. Amor não se compra e crianças não são mercadorias", comentou outra. "Todos sabemos da dificuldade para se adotar, mas esse desfile é uma idéia idiota e perigosa. Faltou bom senso e para mim é até criminosa essa exposição. Trata as crianças como mercadoria sim", disse mais uma.

A colunista de Marie Claire, Stepanhie Ribeiro, foi uma das que comentou sobre o evento: "Sabe o que é isso? É um DESFILE para que pessoas que estão aptas a adotar possam ver essas crianças. Um desfile... Como se fosse uma questão superficial e estética adotar uma criança, como se elas fossem objetos de apreciação ou não".

Por meio de nota, Pantanal Shopping informa que "repudia a objetificação de crianças e adolescentes e esclarece que o único intuito em receber a ação foi contribuir com a promoção e conscientização sobre adoção e os direitos da criança e adolescente com palestras e seminários conduzidos por órgãos competentes que possuem legitimidade no assunto. O shopping reitera que o evento contou ainda com o apoio do Ministério Público do Estado do Mato Grosso, Poder Judiciário do Estado do MT, Governo Estadual do MT, Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania, Sindicato dos Oficiais de Justiça, Associação Nacional do Grupo de Apoio à Adoção e Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, além do Tribunal de Justiça do Mato Grosso".

A OAB-MT também se manifestou sobre o apoio ao desfile.

Veja a íntegra das notas:

PANTANAL SHOPPING

O Pantanal Shopping informa que repudia a objetificação de crianças e adolescentes e esclarece que o único intuito em receber a ação foi contribuir com a promoção e conscientização sobre adoção e os direitos da criança e adolescente com palestras e seminários conduzidos por órgãos competentes que possuem legitimidade no assunto. O shopping afirma que a ação foi promovida pela Associação Mato Grossense de Pesquisa e Apoio à Adoção (Ampara) em parceria com Comissão de Infância e Juventude (CIJ) da OAB-MT e reitera que o evento contou ainda com o apoio do Ministério Público do Estado do Mato Grosso, Poder Judiciário do Estado do MT, Governo Estadual do MT, Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania, Sindicato dos Oficiais de Justiça, Associação Nacional do Grupo de Apoio à Adoção e Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, além do Tribunal de Justiça do Mato Grosso.

OAB-MT

Diante da repercussão do evento “Adoção na Passarela”, realizado pela Associação Mato-grossense de Pesquisa e Apoio à Adoção (AMPARA) e pela Comissão de Infância e Juventude (CIJ) da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT), as instituições vêm a público esclarecer que:

- Nunca foi o objetivo do evento – parte integrante de uma série de outros que compõem a “Semana da Adoção” – apresentar as crianças e adolescentes a famílias para a concretização da adoção. A ideia da ação visa promover a convivência social e mostrar a diversidade da construção familiar por meio da adoção com a participação das famílias adotivas;

- Nenhuma criança ou adolescente foi obrigado a participar do evento e todos eles expressaram aos organizadores alegria com a possibilidade de participarem de um momento como esse. A ação deu a eles a oportunidade de, em um mundo que os trata como se invisíveis fossem, poderem integrar uma convivência social, diretriz do Plano Nacional de Convivência Familiar e Comunitária. Esse evento, inclusive, ocorre pela segunda vez;

- Crianças e adolescentes que desfilaram o fizeram na companhia de seus “padrinhos” ou com seus pais adotivos. A realização do evento ocorreu sob absoluta autorização judicial conferida pelas varas da Infância e Juventude de Cuiabá e Várzea Grande, bem como o apoio do Poder Judiciário.

- A OAB-MT e a Ampara repudiam qualquer tipo de distorção do evento associando-o a períodos sombrios de nossa história e reitera que em nenhum momento houve a exposição de crianças e adolescentes;

- Vale destacar que o desfile foi apenas uma das ações da “Semana da Adoção”. Ao longo dos dias do evento foram realizados também palestras, seminários e recreação para as crianças;

- A falta de interessados na chamada “adoção tardia” faz com que seja urgente a adoção de medidas como a Semana da Adoção, que tornam público esse problema social. Conforme o Relatório de Dados Estatísticos do Cadastro Nacional de Adoção do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), 8,7 mil crianças e adolescentes aguardam por uma família. 

- Na edição anterior do evento, realizado em 2016, dois adolescentes, cujo perfil está fora dos parâmetros de preferência da fila de interessados, foram adotados graças ao trabalho realizado, que deu visibilidade à questão. A iniciativa tem sido tão exitosa na forma como aborda o problema que outros Estados realizaram eventos semelhantes, como “Esperando por você” (ES), “Adote um Pequeno Torcedor” (PE) e “Adote um Pequeno Campeão” (MG);

- Por fim, a Ampara e a OAB-MT, realizadoras do evento, agradecem a disposição de todos os demais órgãos e entidades apoiadores, dentre eles o Tribunal de Justiça de Mato Grosso e o Pantanal Shopping, por entenderem a grandeza de sua finalidade e abraçarem, de forma voluntária, a causa da adoção no Estado. Também conclamam a sociedade em geral para uma discussão séria e efetiva sobre o tema para que mais estratégias possam ser adotadas em prol do direito de possibilitar o acolhimento familiar a essas crianças e esses adolescentes.

 

 

Postar um novo comentário

Comentários (12)

  • Gil Cuiabano | Quinta-Feira, 23 de Maio de 2019, 09h21
    0
    0

    Povo hipócrita só sabem criticar , ajudar que é bom nada, escondem através de redes sociais somente pra meter pau em alguém, tá na cara que era um evento para socializar as crianças, estavam felizes. Pelo que foi dito em resposta , as crianças já tinham sido adotadas apenas uns adolescentes que não haviam sido adotados estavam num evento para comemorar apenas isso, Qual o mau nisso? Vão rezar , orar e parar de falar da vida alheia. Fica dica. Parabéns ao leitor Sr. Mauro Lucio.

  • eduardo | Quinta-Feira, 23 de Maio de 2019, 09h00
    4
    0

    A critica é aceito como tambem a sugestão positivas tbem são aceitos. mas para criticar o evento, tem q tomar conhecimento e saber o objetivo q esta sendo feito. tem pessoas q so sabe criticar.

  • Clara | Quinta-Feira, 23 de Maio de 2019, 08h59
    5
    0

    Parabéns pelo evento!!!! Fui a este desfile sem interesse algum ou envolvimento. Fiquei bastante emocionada em ver a emoção, entusiasmo e alegria dessas crianças que estavam sim se divertindo!! Crianças que nunca serão convidadas por proprietárias de lojas de modinha alguma, porque são preconceituosas assim como a maioria das pessoas que ficam palpitando de forma negativa em referência ao evento lindo que assisti! Pessoas que nunca tiveram interesse de ler algo ou entender de fato o que é um processo de adoção para saberem quanta besteira estão falando!

  • Thiago | Quinta-Feira, 23 de Maio de 2019, 07h25
    2
    0

    Ampara possui um trabalho muito bonito, junto a sua presidente. Isso não quer dizer, que sempre acertará. Moralmente, este evento no ponto de vista de alguns, certamente é ruim e remete a outros sinonimos. Não poderia ter-se realizado de outra forma, vídeos, entrevistas, material fotográfico, entre outras? Nem sempre acertamos fazendo o que achamos ser o correto ou o moelhor. Precisa ter serenidade em saber receber as criticas e tirar proveito delas. Que pelo menos com isso a sociedade entenda que exista esta instituição e este trabalho.

  • RUBENS TADEU REYNAUD | Quinta-Feira, 23 de Maio de 2019, 06h22
    0
    5

    Que ideia mais idiota.Tipico do Mato Grosso.

  • Poderoso T... | Quinta-Feira, 23 de Maio de 2019, 05h31
    1
    3

    Qual a imagem da OAB.no.nosso.estado ? Só serve pra.se pronunciar em.defesa quanto tem um.advogado preso. Qual a imagem da nossa justiça em. Geral? Ganha muito e extremamente celetista....portanto não me venham com.esses argumentos de.que estão ajudando e o shopping é tão safados quanto ...fica fácil fazer isso com crianças que estão nessa situação...canalhas ..quem quiser adotar que vá na.instituicao e não coloquem esses coitados pra ficarem que nem frango de padaria ..carne de açougue..a mostras e o mais bonito o cliente leva ..Justiça que me deu vergonha..nojo disso.

  • Pai | Quarta-Feira, 22 de Maio de 2019, 22h40
    7
    12

    esse desfile foi na expoagro, ....???.. tipo leilão de gado ...??? foi feito por lote ou por cabeça ..??

  • Patricia Fernandes | Quarta-Feira, 22 de Maio de 2019, 22h30
    9
    14

    Geeeente to bege! Que vergonha isso meu Deus. Sem contar o constrangimento por parte dessas crianças. Jesus me abana

  • Assustado, mas acostumado | Quarta-Feira, 22 de Maio de 2019, 22h01
    9
    11

    Nossa, que bola fora. Mas já tô me acostumando a essas coisas bizarras que vemos aqui nesse estado. Mas confesso que ainda tô tentando me acostumar melhor com a ideia dos políticos roubarem, devolverem só um pouco e depois serem soltos para gastar as fortunas e curtir a vida numa boa.

  • Mauro Lúcio | Quarta-Feira, 22 de Maio de 2019, 21h49
    18
    5

    Era melhor né cidadão de bem quando essas crianças eram somente lendas “mitos” onde ninguém sabia das existências ou nunca tiveram a oportunidade de olhar elas, olho a olho! Sim fizeram uma ótima ótima apresentação, alegrou quem passavam por lá e sabe o que mais mexeu com vcs???? O fato de não ter nenhum loirinho de olhos azuis ali! Se não ajudam ao menos não atrapalhe isso se chama inclusão social!

  • Carlos Cuiabano | Quarta-Feira, 22 de Maio de 2019, 20h11
    17
    19

    Um absurdo isso crianças expostas como mercadoria cadê MP que se mete em tudo e não resolve nada e além de tudo OAB ter concordado com isso

  • nilson nei nardelli | Quarta-Feira, 22 de Maio de 2019, 20h02
    16
    8

    A OAB não dá uma dentro,nem a nível federal nem estadual.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS