10 de Agosto de 2020,

Cidades

A | A

Terça-Feira, 30 de Janeiro de 2018, 10h:03 | Atualizado:

MT é campeão de resgates de trabalhadores em situação de escravidão

“Quem procura trabalho, não pode encontrar escravidão”. Esse é o mote da Semana Nacional de Erradicação do Trabalho Escravo aberta nesta segunda-feira (29), em Cuiabá, pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso (SRTE/MT). Até o dia 2 de fevereiro, várias ações serão desenvolvidas com o objetivo de lembrar que essa prática criminosa coloca o estado em posição de destaque: dos 404 trabalhadores resgatados em 2017, 78 deles estavam em terras mato-grossenses, pouco mais de 19% do total.

O lançamento da semana ocorreu na sede da SRTE/MT, no bairro Porto, em Cuiabá, na presença de auditores-fiscais do trabalho, público e parceiros. Sua programação prevê palestras, ações, lançamento de uma biblioteca comunitária e atividades em rodovias federais que cortam Mato Grosso.

“O trabalho escravo contemporâneo não tem correntes nos pés, mas ainda apresenta graves ofensas à dignidade do trabalhador. Enquanto estamos aqui lançando as atividades da semana, alguém em algum lugar tem impedido o seu direito de ir e vir porque alguém acha que essa pessoa só tem obrigações e não direitos”, afirmou o superintendente da SRTE/MT, Amarildo Borges de Oliveira.

Dados da Divisão de Fiscalização para Erradicação do Trabalho Escravo (Detrae) comprovam a liderança de Mato Grosso entre os estados brasileiros com o maior número de resgatados em situação semelhante à escravidão no país. Grande parte dos resgates ocorridos em 2017 foi de atividades relacionadas ao agronegócio, o setor produtivo que mais projeta economicamente Mato Grosso, mas há outros setores que também contribuem para esta triste estatística.

De acordo com o delegado sindical em Mato Grosso do Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais do Trabalho (DSMT Sinait), Valdiney Arruda, que coordena a campanha em nível estadual, as atividades da semana giram em torno de uma maior conscientização da sociedade em repelir esta prática, fazendo denúncias junto às autoridades competentes.

“Queremos que a população não perca a capacidade de indignação. As denúncias podem ser feitas diretamente a SRTE/MT (Ministério do Trabalho) – quando houver -, no Ministério Público do Trabalho, na Delegacia de Polícia Civil, nos sindicatos de trabalhadores, na Polícia militar, na PRF ou no Disque 100 (Direitos Humanos). A identidade do denunciante será mantida no mais absoluto sigilo”, completa.

Dos R$ 2,2 milhões pagos pelos empregadores a título de indenização diretamente aos trabalhadores, em 2017, R$ 503 mil foram de Mato Grosso, como resultado de 12 operações fiscais em 27 fiscalizações. Houve uma retração no número de operações fiscais no ano passado, a exemplo dos anos anteriores, e, consequentemente, de resgates.

Atividades

Durante o lançamento da Semana Nacional em Cuiabá, a DSMT Sinait lembrou do assassinato dos auditores-fiscais do Trabalho Erastóstenes de Almeida Gonsalves, João Batista Soares Lage e Nelson José da Silva e do motorista Ailton Pereira de Oliveira, mortos no 28 de janeiro de 2004, durante vistoria a fazendas na zona rural de Unaí, interior de Minas Gerais, no episódio que ficou conhecido com “Chacina de Unaí”. Valdiney Arruda lembrou dos desafios da profissão e das ameaças e intimidações que os auditores-fiscais do trabalho estão submetidos no cumprimento dos seus deveres..

Cinema Rodoviário

A Auditoria-Fiscal do Trabalho em Mato Grosso participa nesta terça-feira (30) de uma atividade educativa alusiva à Semana Nacional de Erradicação do Trabalho Escravo. A ação é promovida pela Polícia Rodoviária Federal em Mato Grosso (PRF/MT) e consiste em convidar motoristas e passageiros, que circulam pela Rodovia BR-364, para que assistam vídeos e pequenas palestras sobre trabalho escravo. A atividade ocorrerá no horário das 8 às 11h, no posto da PRF em Cuiabá, e terá a participação do auditor-fiscal do trabalho Nei Alexandre Costa.

“É um trabalho muito importante, que contribui para que as pessoas deixem de ter aquela visão distorcida de que a condição análoga à escravidão não existe. Nosso objetivo é sensibilizar as pessoas de que infelizmente é uma prática que persiste apesar de toda fiscalização que existe”, afirma o presidente da Comissão de Direitos Humanos da PRF/MT, Álvaro Daniel Souza. Essa atividade é denominada “Cinema Rodoviário”.

Biblioteca Livre

Na sexta-feira (2) será lançada, na sede da SRTE/MT, o projeto da Biblioteca Livre, que visa disponibilizar livros sem registros e sem data de devolução a qualquer pessoa que queira ler. Os livros serão acondicionados dentro de uma carcaça de geladeira, onde o leitor poderá escolher qual publicação quiser.

Esse projeto tem por objetivo principal facilitar o acesso a leitura e incentivar a comunidade cuiabana a participar, mantendo o acervo por meio de doações. O importante é que os livros circulem e que tenha o envolvimento do maior número de leitores.

O projeto prevê que a Biblioteca Livre da SRTE/MT seja levados aos bairros da capital de Mato Grosso e a locais de grande circulação de pessoas. Essa iniciativa também é parte da Semana Nacional de Erradicação do Trabalho Escravo e conta com o apoio da DSMT Sinait.

 



Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS