05 de Agosto de 2020,

Cidades

A | A

Quarta-Feira, 31 de Janeiro de 2018, 16h:03 | Atualizado:

RECLAMAÇÕES

Obra do novo IML é embargada em Cuiabá


TVCA

novoiml.jpg

 

A Prefeitura de Cuiabá embargou a obra da nova sede do Instituto Médico Legal (IML), no Bairro Jardim Universitário, na capital. A construção do projeto no bairro tem sido motivo de muitas reclamações de moradores da região.

O projeto inicial prevê a construção de um salão comercial que deverá sofrer adequações, de acordo com a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec).

São realizados cerca de 15 mil atendimentos por ano no IML, e apenas 10% são de recebimento de corpos. O órgão realiza outros atendimentos como lesão corporal, insanidade mental e exumação.

O projeto inicial prevê a construção de um salão comercial, no entanto, se o alvará pedido for para o funcionamento de um IML, é necessário seguir algumas diretrizes, segundo o secretário de Desenvolvimento Urbano de Cuiabá, Juares Silveira Samaniego.  "Se o IML for construído, será uma atividade de impacto e será necessário estudar a vizinhança", disse.

O presidente do bairro, Ronald Muzzi, afirmou que os moradores da região querem uma audiência pública para avaliar os prós e contras da construção da nova sede do IML. "Queremos que se faça uma grande reunião para que possam apresentar a todos os moradores os prós e contras da obra", afirmou.

Por meio de nota, a Politec informou que ainda não tem o contrato de locação firmado com o imóvel e que todas as adequações e licenças são de responsabilidade do proprietário do prédio. A contrato da obra será concluído apenas se o local estiver de acordo com as necessidades apresentadas pela Politec e corresponder com os trâmites legais.

 



Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Jisticeiro | Quarta-Feira, 31 de Janeiro de 2018, 19h40
    0
    10

    Confio piamente no governador e sei que ele não está 100.000 de aluguel. Homem integro

  • Marilson | Quarta-Feira, 31 de Janeiro de 2018, 16h48
    31
    4

    Esta obra está eivada de vícios do início ao fim. A impressão que temos é que o governo do Estado está deixando ruir os prédios próprios para poder contratar aluguel de imóveis por aí. Isso precisa ser investigado. A PGE mudou-se da sede própria para um hotel falido de um político ali na República do Líbano,pagam um aluguel mensal na ordem de R$ 100.000,00. o INDEA foi para um prédio alugado na Estrada do Moinho. O Detran do coxipó está num prédio alugado que por pura coincidência é do mesmo dono do imóvel onde pretendem instalar o malfadado IML. Não há estudo de impacto ambiental, sanitário, trânsito, audiência pública, nada. O imóvel em questão seria construído uma praça de alimentação, eis-que no curso da obra mudam a rota para IML. Os moradores da região do Moinho e grande Imperial precisam se atentar a isso. O servidores da Politec merecem um prédio melhor, inclusive por força de ordem judicial mas deve se dar em local apropriado. Nós moradores não deixaremos isso barato.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS