09 de Agosto de 2020,

Economia

A | A

Domingo, 02 de Agosto de 2020, 08h:18 | Atualizado:

CRISE PANDÊMICA

Quatro hoteis fecham na crise em MT; turismo volta ao normal só em 2023

Setor aponta que estabelecimentos estão com apenas 10% de ocupação


Da Redação

hoteis.jpg

 

Em razão da pandemia ocasionada pelo novo coronavírus, o setor do turismo deve ser o último a se restabelecer em Mato Grosso. Essa afirmação é do presidente do Sindicato dos Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares, Luiz Nigro. Segundo ele, a previsão é de que as atividades turísticas sejam retomadas na "normalidade" apenas em 2023.

“As previsões mais otimistas falam do retorno das viagens internacionais em 2023, para voltar ao patamar que estavam no início deste ano. Com relação aos hotéis, estão trabalhando com taxas de ocupação muito baixas de 8% a 12%. Em Cuiabá, quatro hotéis de pequeno, médio e grande porte estão fechados e não sabem ainda se serão reaberto após a pandemia”, afirmou ele.

O presidente ainda declarou que o setor de eventos deve ser o último a retomar as atividades, em razão de não poder haver aglomeração. E ele não falou apenas de festas, mas de Congressos, eventos e cursos.

“E isso causa impacto em várias áreas, como o transporte intermunicipal e dentro da cidade, serviços de palco, som, iluminação, sonorização, recepcionistas, decoração, enfim, é um segmento muito amplo”, explicou.

FECHAMENTO

Segundo Nigro, se as taxas de ocupação permanecerem neste patamar, pelo menos, 10% dos hotéis não retornarão ou terão dificuldade. Já no segmento de bares e restaurantes, até 40% vão fechar e isso ficou demonstrado agora, quando muitos não reabriram mesmo tendo sido liberado o funcionamento.

“O sindicato está muito preocupada com essa situação, com abre e fecha. Porém, o empresário tem que entender que isso não é um querer do político ou de qualquer outra pessoa. É tudo muito incerto. Se as taxas de ocupação de UTIs aumentarem, provavelmente haverá fechamento novamente. Então, varia conforme a situação de contaminação de cada cidade”, explicou.

Nigro reafirma que os empresários têm que entender que terão muitos percalços pela frente, uma vez que apenas uma vacina pode solucionar definitivamente essa situação.

Para tentar minimizar os impactos ocasionados pelo vírus, no mês que vem, as entidades representativas do turismo vão fomentar o turismo local para a população do Estado. “Vamos aproveitar que as viagens de avião ainda estarão reduzidas e que as pessoas vão preferir viajar de carro para diminuir o risco de contaminação para incentivar o turismo local e fazer com que os mato-grossenses busquem conhecer as belezas naturais do nosso Estado”, declarou.

Para incentivar a população, o setor concederá descontos de 50% a 70%. 

 



Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • ELI ROCHA | Domingo, 02 de Agosto de 2020, 13h34
    3
    0

    Meu amigo Luis Nigro, você tem razão: a coisa está "feia" .;.. Não está fácil para ninguém ... Agora, particularmente, acho que o setor turístico do Estado de Mato Grosso ainda está muito incipiente e deixa a desejar. Por essas bandas tudo é muito caro. A infraestrutura nem é incipiente, a bem da verdade não existe. Tentar visitar o nosso Pantanal é uma aventura para poucos. As belezas do Manso só é para os ricaços, na sua grande maioria ligados ao setor público. Talvez, com essa redução de 50% a 70% nos valores cobrados, possa acontecer uma leve melhora para o setor. Esperar para ver.

  • Niel | Domingo, 02 de Agosto de 2020, 09h17
    3
    0

    Tem que fomentar mesmo , e incentivar dando esses descontos excelentes, pois a maioria dos Mato-grossenses vão para outros estados pois viajar dentro de Matogrosso é muito caro , diárias abusivas

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS