21 de Setembro de 2019,

Opinião

A | A

Quarta-Feira, 15 de Maio de 2019, 11h:48 | Atualizado:

Wilson Fuá

A luta pela sobrevivência

Wilson Fua.jpg

 

A luta pela sobrevivência é cada vez mais competitiva, e por isso, muitos sucessos são construídos com ações agressivas e algumas pessoas para ocupar o lugar da outra, usam toda falta de ética e por isso, as algumas  vitórias não tem valor e acabam não sendo comemoradas. 

Quando o sucesso não vem e as derrotas acumulam, o resultado é a desagregação da família, aumentando o número de jovens que buscam a fuga no consumo de drogas que fatalmente levará a reprodução da violência urbana de modo insano e covarde. A maioria dos grupos de assaltantes são constituídos por jovens na faixa de 16 a 21 anos, que são vítimas também da falta de família, despreparo educacional e carência religiosa, e em algum caso falta de oportunidade mesmo, são 13.000.000 de desempregados no país. 

As nossas felicidades estão calcadas em grandes projetos que são planejados buscando sempre metas que dificilmente serão alcançadas, e que estão diretamente ligadas as ações que dependem de outros fatores: depende da sorte; depende da formação acadêmica; depende de ganhar um prêmio da loteria e às vezes depende de conquistar um amor impossível que poderá muda a escala social.

Por isso, que cada conquista é uma pequena felicidade, e para nos sentirmos felizes, temos que comemorar essas pequenas vitórias, como se fossem um marco que abre novos ciclos, e que verdadeiramente forma cada etapa positiva das nossas vidas.

O importante é saber comemorar e sentir feliz sobre algumas coisas que eram suas e você perdeu, mas hoje voltou a pertencer-lhes, depois de muitas lutas: um ex-amor que partiu e hoje voltou; uma propriedade que você vendeu por necessidade e depois comprou novamente; a cura de uma doença na família; um filho que passou no vestibular; uma filha que conseguiu novo emprego ou mesmo uma dívida que conseguiu pagar. Devemos surpreender nossas dúvidas sem distrações para percebermos os milagres da realidade. 

Muitas pessoas evitam demonstrar sua felicidade e não as comemoram, por medo de atrair decepções futuras ou mesmo para evitar a inveja, ou  “olho gordo”, mas ao contrário, ao comemorar e agradecer a Deus por uma vitória, aumentamos mais a nossa confiança e determinação para concluímos  novos projetos, a vida é assim,  perceba que todas as coisa pulsam, tudo em sua volta é pura energia em forma de vida e de amor. 

Felizes são aqueles que vivem desmontando as suas rotinas, como se tudo na  vida houve doçura e vibra com tudo como se fosse a emoção  da primeira vez  e sabe que viver calmamente nos traz aquela  paz que Ele um dia nos falou, mesmo que  depois de um dia tumultuado, tenha a certeza  que ao fim desse dia, ela (a paz) que existe dentro do silêncio, virá através da noite abençoada. 

Muitos vivem o lado bom da vida; e acreditando sempre que a procura do real está no segredo perdido dentro das ilusões do mundo, até descobrir que a grande felicidade está dentro de nós mesmo e não nas coisas que com o tempo transforma-as em  supérfluas, pois a felicidade que tanto procuramos,  pode estar num encontro sem lugar marcado. 

WILSON CARLOS FUÁH é economista, especialista em Recursos Humanos e Relações Sociais e Políticas.

Fale com o Autor: wilsonfua@gmail.com

 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS