15 de Agosto de 2020,

Política

A | A

Sexta-Feira, 09 de Fevereiro de 2018, 09h:22 | Atualizado:

GRAMPOLÂNDIA PANTANEIRA

Juiz aponta “relevância social” e retira sigilo da ação dos grampos ilegais em MT

Decisão atende pedido do MPE; vítimas são ouvidas nesta sexta


Da Redação

audiencia-grampos

 

O juiz Murilo Mesquita de Moura, da 11ª Vara Criminal da Justiça Militar de Cuiabá, determinou o levantamento do sigilo da ação penal que trata sobre os grampos telefônicos em Mato Grosso. A decisão ocorreu em audiência que está sendo realizada nesta manhã no Fórum de Cuiabá.

A decisão atende solicitação do promotor Allan Sidney do Ó Souza, que atua no caso. Ele entende que a ação não deve ser mantida em segredo diante do “relevante valor social” que é a quebra da intimidade das vítimas.

Neste momento, está ocorrendo a audiência de instrução na ação que tem como réus 5 policiais militares. São eles: coronéis Zaqueu Barbosa, Evandro Lesco e Ronelson Barros; tenente-coronel Januário Batista; e cabo Gérson Luiz Correa Junior.

Na audiência de hoje, estão sendo ouvidas as vítimas do caso. Além disso, o conselho, formado por 4 coronéis e pelo juiz, decidirá sobre a liberdade de Zaqueu e Gérson, únicos presos pelo esquema, e pela revogação das medidas cautelares de outros réus. Por exemplo, Lesco e Ronelson estão em prisão domiciliar.

O conselho é formado pelos coronéis Elielso Metelo de Siqueira, Valdemir Benedito Barbosa, Luís Claudio Monteiro da Silva e Renato Antunes da Silveira Júnior. Já os coronéis Pedro Sidney Figueiredo de Souza, Lilian Teresa Vieira de Lima e Raimundo Francisco de Souza foram definidos como suplentes.

GRAMPOLÂNDIA

O escândalo dos grampos veio à tona em maio de 2017, quando o Fantástico, programa da Rede Globo, divulgou entrevista com o promotor do Ministério Público e ex-secretário de Segurança Pública Mauro Zaque, na qual declarou que o governador Pedro Taques (PSDB), desde 2015 tinha ciência do esquema de arapongagem existente na equipe para espionar adversários.

À época, Zaque disse que o esquema foi promovido para obter informações privilegiadas de políticos, jornalistas, servidores e médicos. As ligações teriam sido interceptadas por meio de “barriga de aluguel”, utilizado pela Polícia Militar para monitorar os adversários de Taques.

Dias depois, foram decretadas as prisões do coronel Zaqueu Barbosa, apontado como líder do esquema, e do cabo Gerson Luiz Correa Junior, principal operaador dos grampos. Com o desenrolar das investigações, outros militares tiveram as prisões decretadas.

Ainda foi descoberto um esquema para tentar obstruir as investigações. O grupo tentava levantar a suspeição do desembargador Orlando Perri, relator do processo dos grampos no Tribunal de Justiça. 

 

Galeria de Fotos



Postar um novo comentário

Comentários (10)

  • Raimundo | Sexta-Feira, 09 de Fevereiro de 2018, 12h02
    1
    1

    Essa questão dos grampos só afetam os poderosos, a população não quer saber dessa fofocaiada. Mas o presidente da OAB e outros estão preocupados, certamente porque a lama pode espirrar neles. A população por outro lado quer saber de prisão dos conselheiros do TCE, do TJ, dos pilantras da AL, dos empresários vagabundos e servidores corruptos. Enquanto isso o alto clero preocupa com os grampos... "Será que vão descobrir minha amante, ou o amante..." Kkk

  • Carlos Eduardo | Sexta-Feira, 09 de Fevereiro de 2018, 11h58
    3
    0

    Quero ver quando é que vão abrir o bico e entregar o governador ditadorzinho

  • Mauro Figueiredo | Sexta-Feira, 09 de Fevereiro de 2018, 10h53
    3
    0

    PARABÉNS. UM JUIZ MILITAR DANDO EXEMPLO DE ATUAÇÃO IMPARCIAL. MUITO BEM. APRENDAM CAPAS PRETAS.

  • Doralice | Sexta-Feira, 09 de Fevereiro de 2018, 10h50
    2
    1

    BEM FEITO! FORAM SE SUBORDINAR AOS FOFOQUEIROS DE PASSAGEM PELO PAIAGUAS AO INVES DE AGIREM DENTRO DA LEI CONFORME JURARAM. PERJURO TEM QUE SER CONDENADO PARA QUE APRENDAM A DEFENDER O POVO E NÃO OS CORRUPTOS VAIDOSOS QUE ASCENDEM AO PODER NO ESTADO. É UMA PENA QUE O STJ NÃO ADOTE OS PRINCIPIOS DA MORALIDADE ADOTADOS POR ESTE TRIBUNAL MILITAR.

  • Bernardina | Sexta-Feira, 09 de Fevereiro de 2018, 10h33
    2
    0

    Um absurdo!!! Os policiais é que estão pagando o pato, pois cumpriram determinação. Não julguem, pois muitos sabem como funciona o sistema... "Manda que pode, obedece quem tem juízo". O mandante desse esquema está em liberdade e ainda fazendo presepada na vida de milhares de Mato-grossenses. E ai??? Como diz o velho ditado: a corda sempre arrebenta para o lado fraco??? Que a justiça seja divina, pois a dos homens é muito falha!!!

  • ZAZA | Sexta-Feira, 09 de Fevereiro de 2018, 09h56
    27
    3

    Não é justo só os PMs do inicio da investigações presos e os mandantes e puxas sacos em prisões especiais em suas mansões.

  • Batmanligadajustica | Sexta-Feira, 09 de Fevereiro de 2018, 09h47
    15
    5

    Só não me venham com a idiotice burrice babaquice de fazer comparação a ditadura porque em todos os países em que o povo não aguentava mais o desmando dos políticos corruptos e ladrões quem tomou o poder foi o exército e naquela época não havia celular pra grampear antes de fazer essa comparação vai primeiro tomar esclarecimentos do fato para poder comentar pra não comentar asneiras

  • Bradok | Sexta-Feira, 09 de Fevereiro de 2018, 09h43
    12
    5

    Vamos meu Botafogo

  • Zé urubu | Sexta-Feira, 09 de Fevereiro de 2018, 09h31
    28
    2

    Parabéns! !!! Sigilo pra que? Agora falta divulgar a lista das pessoas que foram grampeadas!!!

  • Didi | Sexta-Feira, 09 de Fevereiro de 2018, 09h27
    24
    2

    Parabens! A populacao quer saber os nomes de todos os envolvidos e a punicao dested, bem como os numeros grampeados.

INFORMES PUBLICITÁRIOS

MAIS VÍDEOS